Sexta-feira, 12 de Setembro de 2008

Dicionário Idosês-Português VII

Orgência: esta palavra é muito similar à por nós usada (urgência), no entanto tem uma ligeira diferença: uma orgência é uma situação muito mais complicada que uma urgência e necessita de ser resolvida o mais depressa possível. Senão vejamos: sempre que a nossa população mais velha precisa de tratar algo com a maior celeridade possível, diz que tem que tratar disso com urgência? Não! Tem que tratar com orgência! E aonde é que eles vão quando têm alguma problema de saúde grave? Já os ouviram alguma vez a dizer que foram ou vão às urgências? Não, meus amigos. Eles dizem sempre que vão às orgências. Não sei qual será a diferença entre estes dois serviços, mas se os nossos decanos se deslocam às orgências é porque estas certamente terão um atendimento melhor e mais rápido e possivelmente emitem nos seus televisores maratonas do programa do Goucha e das telenovelas da TVI, duas das coisas que os nossos idosos mais apreciam nas suas vidas.

Só para terminar, uma situação que vi ao vivo e a cores:

-Indivíduo com ar relativamente enjoado que trabalha no "balcão" das urgências do Centro de Saúde: "Boa noite...isso é uma urgência"?

-Senhora que queria ser atendida depressa, pois estava não numa urgência, mas sim numa orgência: "É uma orgência!!!! Tem que me atender depressa que isto é uma orgência!!!"

-Indivíduo que ficou com um ar ainda mais enjoado depois de ouvir a berraria da senhora e que trabalha no "balcão" das urgências do Centro de Saúde: Então agora a senhora tem que ir para aquela salinha aonde lhe vão fazer uma triagem para ver qual é o seu grau de urgência."

-Senhora que queria ser atendida depressa, pois estava não numa urgência, mas sim numa orgência: "Mas ó home!! Isto é mesmo orgente!!".

Ninguém naquela sala percebeu (excepto eu e os outros 2 idosos que se lá encontravam), mas o que a senhora queria dizer era que de facto a sua situação tinha que ser vista mais depressa que todas as outras porque era uma orgência e não uma simples de uma urgência. É o que dá não haver pessoal competente nos hospitais que perceba idosês...

E assim se fala em bom idosês.

Escrito por: João Cacelas às 16:14
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (2) | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Agosto de 2008

Dicionário idosês-português VI

"De que marca é (o cão)?": É assim que os nossos sábios mestres se dirigem a nós, a fim de saber qual a raça do nosso "canito" de estimação, não perguntam pela raça, mas sim pela marca.

A única explicação que encontro para tal fenómeno é esta: os nossos anciões são parvos. E não me venham dizer que o argumento é fraquinho e não sei o quê. São parvos e bêbedos (vá, alguns)...a marca do cão...não tarda nada vão perguntar quanto tempo demora dos 0 aos 100, se gasta muito e quantos quilómetros tem... juro que a próxima vez que ouvir a eterna pergunta do "de que marca é o bicho?", responderei com o ar mais sereno do mundo assim: "É um Labrador GTi de 99, a Gasóleo, mas anda-me a sair muito caro o sacana, deve andar com uns filtros estragados e está a gastar muito e o catano, de maneiras que tenho que o levar ao veterinário, perdão, ao mecânico...", sabendo de antemão, que corro o grande risco de ser espancado mal acabe a frase...

Escrito por: João Cacelas às 16:04
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (4) | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Agosto de 2008

Dicionário idosês-português V

Auga: Este líquido incolor e inodoro é em tudo muito semelhante à nossa bem conhecida água, sem a qual não podemos viver (mais que 5 dias), visto que cerca de 70% do nosso corpo é constituído por ela, porém, os nossos idosos, que sabem o que é bom preferem boer auga, sim, essa é outra das diferenças em relação à água: enquanto esta é para beber, a auga é para boer e tem que se emborcar tudo de uma só vez. Segundo os nossos anciões, a auga é muito melhor que a água porque enrijece mais e dá força, é uma bebida para homes e melheres a sério e tem que ser boida de uma assentada só, tal a sua potência. Há quem diga, inclusive, que a poção mágica que Óbelix bebeu no caldeirão, não era nenhuma poção mas sim auga e que é graças a esta que o rapaz tem a força desmedida que tem, só para que vejam a potência que esta menina tem.

Os nossos decanos, sábios como não há igual, criaram todo um vastíssimo leque de augas, muito melhores que a mixórdia que nós bebemos...temos a auga encanalizada, auga inxigenada (para tratar enfecções não há melhor), auga distinlada (passa muito melhor a ferro que a sua prima destilada), entre muitas outras variantes deste líquido maravilhoso...

Escrito por: João Cacelas às 15:53
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (2) | favorito
|
Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

Dicionário idosês-português IV

Home: O home é uma criatura muito semelhante ao homem, embora seja muito mais macho, viril, mais corajoso e domine com grande mestria a sachola e o ancinho.

Esta espécie tem como habitat natural o campo e geralmente dedica-se à agricultura ou à vida de bêbedo. Escusado será dizer que, quer numa quer noutra actividade, é necessária uma boa capacidade fisíca e alguma força de braços, o que faz do home uma criatura muito mais forte e poderosa que o vulgar homem da cidade, que não precisa de fazer grandes esforços físicos. Outras actividades muito apreciadas pelo home são: jogar à malha, andar à porrada em cafés, depois de andar à porrada partir o que resta do café, depois de partir o que sobrou do café, beber (ou "boer" como eles dizem no seu dialecto próprio) um ou dois garrafões de vinho e esperar pela GNR para andar mais um bocado à porrada. É portanto, uma criatura de gostos eclécticos e altamente requintados, muito forte e corajosa, mas também altamente agressiva, pois basta muito pouco para o enfurecer, por isso aqui fica um conselho (para os homens): quando forem ao campo, nunca olhem um home directamente nos olhos, pois ele pensará que vocês querem andar à porrada com ele, ou isso ou que vocês são maricas e nesse caso, ele tomará a liberdade de vos dar um arraial de porrada sem perguntar para que lado é que querem levar.

Aparentemente, esta espécie encontra-se em vias de extinção, pois segundo dizem os nossos velhos anciões machos (verdadeiros homes, rijos que nem um cepo): "já não há homes como antigamente..."

Felizmente para mim, os homes não usam computadores, pois consideram-nos uma "modernice sem jeiteira nenhuma" e também porque estes não lhe dão copos de vinho para "boerem", logo, nunca lerão este texto, porque senão desconfio que muito provavelmente teria um ou mais homes prontos a darem-me com uma sachola na tola, o que convenhamos é chato e aleija.

Escrito por: João Cacelas às 16:58
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Agosto de 2008

Dicionário idosês-português III

(Que Deus nosso Senhor me) Perdoie 3ª pessoa do sing. pres. conj. do famoso verbo "perdoiar".

Não confundam perdoie com perdoe, pois apesar de ambas serem da mesma família, apresentam uma grande diferença: a primeira serve única e exclusivamente para se apelar a Deus, na esperança que este nos redima dos nossos pecados, enquanto que perdoe serve para assuntos um pouco mais "mundanos". Dois exemplos:

"Ai sabes o que é que eu fiz? Parti a jarra da Almerinda, aquela que a mãe lhe deixou como herança e que ela gostava muito. Espero que ela me perdoe."

"Olha mulher, tu até sabes que eu nem sou de intrigas, mas que Deus nosso Senhor me perdoie se a mulher do Álvaro, a Maria do Céu não anda metida com o Zé do Talho(...)"

Os linguístas, especialistas na matéria não sabem explicar a que se deve tal fenómeno, de maneiras que eu, mesmo não sendo especialista em coisa nenhuma, resolvi avançar com uma tese própria: a meu ver, esta palavra deve-se pura e exclusivamente ao facto de Deus, como entidade divina e superior a todas as criaturas da Terra, não se poderia ficar apenas pelo perdoar, isso qualquer ordinário e vulgar mortal pode fazer sem grande esforço. Deus, como é o Maior do Universo, não pode ficar ao nível de nós, a ralé, de maneiras que chamou a si a capacidade de perdoiar, apenas ao alcançe Dele próprio e que mostra bem a sua superioridade em relação a todos nós, uns badamecos que só perdoam.

Só espero é que Deus me perdoie pela enorme estupidez que acabei de escrever.

Escrito por: João Cacelas às 16:18
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (8) | favorito
|
Quinta-feira, 14 de Agosto de 2008

Dicionário idosês-português II

Selada: Aquilo que nós costumamos denominar como salada (não, não tem nada a ver com selos), os nossos sábios mestres chamam de selada. No entanto, não é só aqui que se encontram as diferenças: enquanto que nós temos salada de tomate, de alface, de pepino ou de pimento, os nossos decanos, fazendo uso de toda a sua sabedoria desenvolveram todo um vasto leque de novas saladas, perdão seladas, muito mais gostosas e saborosas que as nossas: a selada de alfaces, de temates, de pipino ou pupino e ainda de pimentes. Tudo coisas muito mais nutritivas que as porcarias de saladas que nós, "malta nova" (é assim que eles nos chamam) comemos. Eu, já comi várias seladas e garanto-vos que são, de facto, muito melhores que as básicas saladas.

Escrito por: João Cacelas às 11:56
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (19) | favorito
|
Quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

Dicionário idosês-português I

 Olá! Hoje dou início ao dicionário idosês-português, um pequeno e precioso auxiliar para que todos possamos melhor compreender alguns dos termos mais ou menos giros muito utilizados pelos nossos idosos, que como verdadeiros decanos que são, nos presenteiam diariamente com grandes e bonitas "pérolas" do português. Então cá vai:

 Atensão: aquilo que nós, comuns mortais chamamos de tensão arterial, que tanto pode ser alta (hipertensão), baixa (hipotensão) ou assim-assim. Um exemplo prático:

"Aiii credo!! Que este shôtor não é nada bom!!! Nem sequer me mediu a atensão!!! Já não há médicos como intigamente!!"

 

Escrito por: João Cacelas às 14:44
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Terça-feira, 8 de Julho de 2008

Por falar em Alberto João Jardim...

Boa tarde!

Por falar em Alberto João Jardim, lembrei-me de vos "presentear" com um sempre útil:

 

DICIONÁRIO INGLÊS-MADEIRENSE-PORTUGUÊS

 

CAN'T- Significa que não está frio.

              Exemplo: O café está CAN'T.

CAN- Usado por quem sofre de amnésia.

           Exemplo: CAN sou eu?

TO SEE- Onomatopeia que representa tosse.

                 Exemplo: Eu nunca TO SEE tanto na minha vida.

CREAM- Significa roubar, matar.

                Exemplo: Ele cometeu um CREAM.

DARK- Significa generosidade, dar.

              Exemplo: É melhor DARK receber.

ICE- Expressão de desejo.

         Exemplo: ICE ela me beijasse!

MAY GO- Pessoa dócil, afável.

                 Exemplo: Ele é muito MAY GO!

 

Beijinhos e inté!

 

 

sinto-me:
Músicas, cantigas, melodias e seus semelhantes: O bailinho doa Madeira
Escrito por: Regina às 12:37
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (15) | favorito
|
Sábado, 28 de Junho de 2008

FERRAMENTA ÚTIL

DICIONÁRIO FEMININO*

Sim. = *Não.*

Não. = *Sim.*

Talvez... = *Não.*

Não sei se será assim. = *Vai ser como eu quero.*

Nós queremos. = *Eu quero.*

Faz como quiseres. =* Vais pagar muito caro por isto!*

Precisamos de conversar... = *Agora vais ouvir.*

Vai em frente. = *Não quero que vás.*

Não estou chateada. =* Lógico que estou chateada.*

Sê romântico, apaga as luzes... =* Sinto-me gorda.*

Esta cozinha não dá muito jeito = *Quero uma casa  nova.*

Até que ponto me amas? =* Fiz algo que não vais gostar de saber...*

Estou pronta num minuto! =* Tira os sapatos, escolhe um canal de TV e
relaxa. *

Estou gorda? = *Diz que estou bonita.*

Precisas de aprender a comunicar. = *Concorda sempre comigo.*

Não estou a gritar! = *VOU PARTIR ESTA MERDA TODA!*

 

*DICIONÁRIO MASCULINO*

Estou com fome. = *Estou com fome. *

Estou com sono. = *Estou com sono. *

Estou cansado. = *Estou cansado. *

Queres ir ao cinema? =* Vamos dar uma queca ? *

Posso convidar-te para jantar? = *Vamos dar uma queca ?*

Posso ligar-te? =* Vamos dar uma queca ?*

Queres dançar comigo? = *Vamos dar uma queca ?*

Bonito vestido! = *Que decote! Vamos dar uma queca!*

Pareces tensa... Deixa-me fazer-te uma massagem. = *Vamos dar uma queca.*

Estou chateado. = *Vamos dar uma queca.*

Amo-te! = *Vamos dar uma queca, agora!*

Vamos conversar... = *Vamos dar uma queca...*

Queres casar comigo? = *Não quero que andes por aí a dar quecas com outros.*

Gosto mais desse... =* Qualquer vestido serve, vamos dar uma queca duma vez!*
 


 

Escrito por: Regina às 22:25
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (7) | favorito
|

.Os oradores:

.Translator (para coisinhos de outros países e planetas)

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Caso queira pesquisar sobre coisas, assuntos ou temas:

 

.Intervenções mais velhotas, assim a cheirar a mofo:

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Intervenções recentes:

. Dicionário Idosês-Portugu...

. Dicionário idosês-portugu...

. Dicionário idosês-portugu...

. Dicionário idosês-portugu...

. Dicionário idosês-portugu...

. Dicionário idosês-portugu...

. Dicionário idosês-portugu...

. Por falar em Alberto João...

. FERRAMENTA ÚTIL

.tags

. todas as tags

.Cuscas e cuscos (ladies first)

Counters
Counters
Creative Commons License
O Hemiciclo by João Cacelas is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

.O meu e-mail, ou melhor emel. Caso queiram deixar alguma sugestão ou crítica, enviem para aqui:

joao_cacelas@hotmail.com

.subscrever feeds