Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009

O Twitter

Olá, coisos. Vamos falar do Twitter? Eu sempre perguntei a mim próprio para que serviria o Twitter e o porquê do seu sucesso e como não há melhor forma de saber para que serve uma coisa, a não ser experimentando-a, lá pus mãos à obra e abri uma conta que acabo agora de apagar, apesar de me ter aparecido um passarito a chorar, perguntando "this is really the end?", notoriamente desolado pelo fim da minha relação com o Twitter. Isso resulta com gatinhos ou bebés, com pássaros azuis nem por isso.
Esta é aquela parte em que eu escrevo quais as conclusões a que cheguei e para que é que serve o Twitter. Basicamente, o Twitter não serve para rigorosamente nada.
Note-se que assim que o estarola que escreve estas linhas aderiu ao pássaro azul, surgiram de imediato uns três ou quatro "followers", ávidos de saber a que horas se processa a minha actividade fecal, a que horas vou para a caminha ou ainda quantas vezes ao dia digo a palavra "equitativamente". Só coisas de grande interesse.
"Ah, mas o Twitter é fixe é para saber coisas sobre os famosos e não sei o quê", pensará o leitor, "twitteriano inveterado" (coisa que não condeno veemente, fico-me apenas pela troça a bandeiras despregadas).
Pois, porque saber a que horas o Nuno Markl ou a não sei quem produzem a sua matéria fecal, ou saber que às 16 horas de uma quarta-feira se sentem ligeiramente aborrecidos ou que acordam às 7 da matina para ir trabalhar ou que compraram um caniche novo que deixa o chão da casa com mais "minas" que muito terreno baldio de Angola já são coisas de interesse superlativo...
Mas afinal, para que serve o Twitter e o que lá se faz? Vamos por partes, como o Jack, o Estripador:
Na verdade, ninguém sabe ao certo para que serve o Twitter. O argumento mais usado pelos "twitterianos" é que o Twitter é o "que se faz com ele". E isto, é muito sucintamente, uma forma mais poética de se dizer "eu não sei para que porra serve isto, uso porque toda a gente usa". Note-se ainda que quando alguém diz que uma coisa "é o que se faz com ela", isso significa que essa mesma coisa não tem qualquer utilidade.
O que é que se faz quando se juntam vários ingredientes dentro de uma panela? Cozinha-se. O que é que se faz quando se escreve um texto para publicar num blog? Escreve-se um post.  O que é que se faz com um cd do Tony Carreira? Parte-se. E o que se faz no Twitter? "Twita-se". Que é outra linda forma de dizer "eu não sei bem o que fazer com isto".
Manda-se mensagens com poucos caracteres? Uuhh, que novidade...é isso e o SMS e a roda. Posta-se notícias em primeira mão ou diz-se coisas porque nos apetece? Existem uma coisas chamadas internet e blogues, que também são acessíveis por telemóvel (e nos blogs também se pode escrever com poucos caracteres) e que já fazem isso há uns anitos.
E pronto, coisinhos do Twitter, desculpem lá se feri as vossas susceptibilidades mas daqui a uns anos ainda me vão dar razão porque em última análise, o Twitter é mais ou menos como os penteados e roupas dos anos 80. Toda a gente usava e era a coisa mais"cool" do mundo, mas o tempo mostrou que afinal não era bem assim...
Escrito por: João Cacelas às 11:35
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (20) | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Abril de 2009

Enquanto penso em temas, factos e assuntos deixo-vos com um dos meus tesourinhos mais antigos, de 19 de Outubro de 2007: Sexo virtual e outros tipos de forrobodós à distância, onde não se toca na "chicha"

Ora viva, hoje brindo-vos com um pequeno texto sobre sexo virtual, ou cibernético ou telefónico, enfim, todos os tipos de sexo que não passem por tocar na "chicha". E porque é que eu me lembro de escrever sobre tal coisa, perguntam vocês. Vá! Perguntem lá! Senão obrigo-vos a ouvir a discografia completa do Nelson Ned... agora está nas vossas mãos perguntar, sem pressões...mas com a discografia completa do Nelson Ned. Porquê, porquê? Porque sim. E porque ontem à noite, durante um período de insónia lembrei-me que era capaz de ser giro um texto sobre o sexo virtual, "à distância", só por isso. Deviam estar à espera que dissesse que após um longo e intenso raciocínio acerca do pensamento cartesiano me desse para escrever sobre sexo virtual, não? Toda a gente sabe que com longos e intensos raciocínios acerca do pensamento cartesiano só se pode escrever sobre indivíduos que tenham uma forma ligeira de coxear...quem não sabe isto, é porque é parvo, isto faz parte do conhecimento geral, do senso comum. Isto e a pergunta sobre o que aconteceu à Maddie, mas essa questão deixo-a para outro dia, com a ajuda de uma mente especializada na matéria Maddie, uma dona de casa que veja os programas da manhã e da tarde da TVI. Mas voltemos ao que interessa: o sexo virtual. Há tempos (cerca de 5 meses, princípios de Junho), recebi um convite na minha página do Hi5 de uma moça, para fazer sexo virtual com ela, resolvi averiguar a ver se era um site a fazer publicidade ou se era mesmo uma moça a querer fazer sexo virtual comigo. Para meu espanto, era a segunda hipótese. Respondi-lhe de forma muito educada: "Não, obrigado. Gosto de sexo, sexo é bom, mas é ao vivo. Mas obrigado por se ter lembrado de mim para tal forrobodó virtual". Daqui, acho que há duas coisas a reter: a primeira é que a moça ou era parva ou cega, porque no meio de tanto exemplar do sexo masculino foi-me escolher a mim. O outro aspecto importante a reter é que talvez fosse só parva, ou isso ou que nunca experimentou sexo "físico"...

E ontem à noite, lembrei-me disto e pus-me a pensar cá para mim: "João, João, como é que será que as pessoas comentam as suas experiências sexuais virtuais umas com as outras?", e após vários raciocínios (mentira, nem raciocinei nada, mas fica bem dizer que sim) cheguei a uma conclusão (o que também é mentira, porque eu estou a escrever de improviso, não volto atrás para mudar nada, é como fica,é como vai), então cá vai.
Imaginemos um grupo de amigos que é fã de sexo virtual (via net) a falar sobre as suas experiências uns com os outros... é mais ou menos isto: É pá! Ó pessoal! Ontem à noite, tive uma relação de sexo virtual, bem! Nem vão acreditar! Foi o melhor sexo virtual que alguma vez tive! Bem! Ela tinha uma ligação de 24 Mb, foi sempre a abrir! E a web cam dela? Ui!Ui! que web cam mais jeitosinha! Até dá vontade de agarrar! Tem cá uma qualidade de imagem! Espectáculo! E o micro? Tinha um micro novinho em folha, sem ruído nenhum! Até se ouvia os pássaros na rua a piar! Espectáculo! Mas aquela web cam...é que deu cabo de mim...
Bom, deve ser algo deste género, suponho...e se a situação se passar com sexo por telefone? 
Deve ser algo deste género: Ontem à noite, tive uma relação de sexo por telefone para esquecer, pá! Então porquê?(perguntam os seus compinchas) Fiz sexo com uma de rede fixa, pá! Então mas tu foste-te meter com uma tipa de rede fixa, pá! (ripostam os amigos, com ar de espanto) Mas tu és doido, ou quê?? E olha lá! Preveniste-te ao menos? Usaste a Happy Hour? Ou nem isso?! É pá não...(responde envergonhado o garanhão telefónico...) Então tás lixado, pá!! (atiram os seus compinchas). Outra situação possível: Um amigo para o outro, olha lá, qual é que tu preferes? Nokia ou Motorolla? E o outro: Então isso pergunta-se!! É claro que prefiro Nokia!! Pois com certeza! Olha tem uma bateria óptima para o sexo tântrico via telefone, o som estéreo dos novos modelos é uma maravilha! É pá! parece que estás lá! Só estando na situação é que percebes, mas tu não...queres é Motorollas, nem sabes tu o que é bom! O que é chicha à séria (neste momento tenho que interromper a fala deste amigo pare lhe dizer que ao que parece ele também não sabe o que é chicha à séria...), quando experimentares com uma Nokia, logo vês do que te falo!
E suponho que sejam assim os relatos desses autênticos forrobodós, desse festim sexual que deve ser praticar sexo virtual. Por mim, vou continuar a preferir ao "vivo e a cores", assim não corro o risco de ter uma falha de bateria ou de rede...

Escrito por: João Cacelas às 11:30
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (4) | favorito
|
Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009

E-mails distribuidores gratuitos da desgraça e da estupidez no meu mail, não obrigado

Está um indivíduo muito bem disposto, assim logo cedinho de manhã quando abre a sua caixa de correio e se depara com muitos mails daqueles que temos que passar a 20 pessoas em não sei quantos dias senão acontece-nos uma desgraça terrível como crescer um "frunco" no rabo ou até a nossa morte. Um desses mails que recebi hoje era uma foto que tinha que passar a vinte pessoas, caso não passasse era capaz de morrer em breve,  caso passe a foto, dizem que sou menino para ganhar o jackpot de 130 milhões de euros no Euromilhões. Ora, a meu ver e desculpem se estiver errado, malta que não tem mais nada que fazer da vida a não ser inventar mails parvos, para se ganhar o jackpot de 130 milhões de Euros não basta reenviar a foto a 20 pessoas. Há quem diga que também é capaz de dar jeito jogar no Euromilhões e rezar a Deus Nosso Senhor, o Cristo para que o prémio chegue ao super jackpot (coisa que é capaz de demorar um anito ou mais...). 

Fica aqui o aviso: a próxima pessoa que me enviar um mail a dizer que tenho que o enviar a não sei quantas pessoas, no prazo de x horas pois caso contrário, uma enorme tragédia se abaterá sobre mim, vai ver o que é realmente uma tragédia a sério quando eu a começar a chatear à séria. Mas é que é mesmo.

Nota: Como repararam, não reenviei o mail, de maneira que caso não escreva mais posts nos próximos dias, sou capaz de ter ido ao meu próprio funeral.

Nota 2: Dava-me jeito um autocolante na caixa de email, tipo aqueles das caixas de correio que dizem "publicidade não endereçada, aqui não." Só que no caso teria que ser "e-emails chatos e distribuidores gratuitos da desgraça e da estupidez, aqui não". Alguém sabe onde isso se arranja?

Escrito por: João Cacelas às 10:39
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Jean-Marie Le Clezio e a diferença entre um Nobel e um tipo que é só parvo

Jean-Marie Le Clezio, o prémio Nobel da Literatura, afirmou, numa conferência na Suécia que "a Internet poderia ter parado Hitler", que é como quem diz que se na altura do Ti Adolfo houvesse net, a mega-conspiração do bigodinho não tivesse tido o devido efeito e fosse sim ridicularizada, passando de email em email como aquelas fotos dos gatinhos fofos para fazer rir as pessoas que deveriam estar a trabalhar, mas que preferem andar a ler emails e textos como este. 

Mas que grande novidade ó Jean-Marie (isto mais parece nome de gaja,franceses...) que no dás, como se ninguém soubesse isso! É preciso vires tu para uma conferência dizeres uma coisa dessas (e ainda por cima pagam-te para o fazeres), se fosse eu a dizer isso, ninguém me ligava nenhuma, mas como é o menino Nobel da Literatura, fica tudo: "ai, ai, deixa cá ouvir o que ele vai dizer que deve ser algo espectacular!"

Escuta ó Jean-Marie, que esta é para ti: se no tempo de Jesus Cristo houvesse net, ele teria difundido a sua mensagem muito mais rapidamente por todo o mundo, através de fóruns sociais, como o Hi5, o Facebook, o Messenger e o YouTube, do seu blog (que seria no Sapo) e certamente que não teria sido crucificado mas sim aclamado por toda a malta, que lhe mandaria comentários com ursos e coisas fofas para a sua página do Hi5 e o convidava para beber cocktails virtuais (que seriam transformados pelo Messias em cocktails verdadeiros) e outras coisas giras, até o malandro do Herodes se teria rendido às evidências e seria um dos melhores amigos de Cristo lá nisso do Hi5.

Vês ó Jean-Marie, que não é preciso ser Nobel de coisa nenhuma para desenvolver esse tipo de pensamentos? Isso, meu menino é andar a brincar com o dinheiro das pessoas, que te pagam para que lhes digas coisas interessantes e não coisas parvas. A mim, como ninguém me paga, tudo bem, posso escrever o que me apetecer, agora tu Jean-Marie...vê lá se ganhas mas é juízo e se vais trabalhar como as pessoas, como diz o outro.

Um grande bem-haja a todos vós e ide, caminhai pelos caminhos da luz e que a Força esteja convosco.

Escrito por: João Cacelas às 09:20
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008

Media Markt

Há dias recebi isto no meu email (da malta da Media Markt): "Até que enfim! Estávamos mesmo à sua espera para completar a nossa lista de clientes que recebem em primeira mão todas as novidades e promoções. Parabéns pelo registo!"

Bom, já tinha conhecimento que os anúncios de TV da Media Markt são parvos, que os da rádio são ainda mais e que os outdoors também não ficam atrás dos outros, mas fiquei agradavelmente surpreendido ao descobrir que até a enviar emails, o pessoal da Media Markt mantém os níveis de parvoíce nos píncaros da Lua, ao começar um email para um tipo que não conhecem (eu) de lado nenhum com um grande "até que enfim!". Meus meninos, um "até que enfim" diz-se a uma pessoa com quem tenhamos um certo nível de intimidade, não se anda para aí a soltar "até que enfins" ao Deus dará. Não, não. Não se faz. Quanto muito poderiam ter dito: "É com grande prazer que anunciamos que o seu registo foi completo, etc,etc e coiso". Se bem que eu não me registei em coisa nenhuma, mas ok, tudo bem.

Por fim, outro aspecto que gostaria de realçar neste email: a parte do "estavam mesmo à minha espera". Se estavam mesmo à minha espera, porque é que ontem também enviaram um  igualzinho a este a uma pessoa minha amiga? Hum? Eu não vos chegava? Tinham que ir dizer a outro? Se era de mim que estavam à espera, já tinham tudo o que queriam!

Isto leva-me à conclusão que a Media Markt é mais ou menos como aqueles tipos que têm 2 famílias e várias amantes: enganam-nas a todas com a conversa de que elas são especiais, que são as únicas, que são tudo o que eles querem e...zás!! Vai-se a ver, são elas e mais outras 50. São todos uns aldrabões, é o que é.

Ainda dizem eles nos anúncios que não são parvos. São e muito. Assim de repente, só consigo imaginar 2 coisas mais parvas que a Media Markt, uma é o corte de cabelo do Paulo Bento e a outra é o Cláudio Ramos, todo.

Passem bem.

Escrito por: João Cacelas às 17:32
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|

.Os oradores:

.Translator (para coisinhos de outros países e planetas)

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Caso queira pesquisar sobre coisas, assuntos ou temas:

 

.Intervenções mais velhotas, assim a cheirar a mofo:

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Intervenções recentes:

. O Twitter

. Enquanto penso em temas, ...

. E-mails distribuidores gr...

. Jean-Marie Le Clezio e a ...

. Media Markt

.tags

. todas as tags

.Cuscas e cuscos (ladies first)

Counters
Counters
Creative Commons License
O Hemiciclo by João Cacelas is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

.O meu e-mail, ou melhor emel. Caso queiram deixar alguma sugestão ou crítica, enviem para aqui:

joao_cacelas@hotmail.com

.subscrever feeds