Quinta-feira, 30 de Julho de 2009

Queridos, mudei o barracão

Olá. Como podem verificar (a não ser que padeçam de uma maleita conhecida por cegueira) o estaminé está um pouco diferente. Alterei o cabeçalho, com umas bonitas (ou não) ilustrações feitas por mim, temos um José Sócrates com ar de poucos amigos, um "Rónaldo" com o belo do terço ao pescoço e como cereja no topo do bolo, o mítico Emplastro entre ambos. Estou mesmo em condições de afirmar (e a pés junto e tudo) que este é o único blogue de toda a blogosfera a reunir num só cabeçalho estas três ilustres figuras. E reparem que quem lê este blogue continua a ser sexy.
Passando ao que realmente interessa...o caro leitor quer um funeral de luxo mas não tem como pagar? Não se apoquente mais com isso! Pois graças ao génio da malta que trabalha no Grupo Santiago, em Guimarães, você pode ser o feliz contemplado com um funeral de luxo! E o melhor disto tudo é que não precisa de fazer daquelas frases parvas a rimar, como: "Quando eu falecer, os meus familiares eu não quero aborrecer com as despesas do meu funeral por isso resolvi concorrer  para ganhar um funeral digno de uma estrela musical." ou ainda: "Graças ao Grupo Santiago posso ter o funeral com que sempre sonhei, digno de um Rei.", porque a atribuição do prémio será feita através de um sorteio! Mas atenção! Para se habilitar a este magnífico prémio basta recortar os cupões que vêm com os jornais "O Comércio de Guimarães" e "Desportivo de Guimarães" e na revista "BIGGERmagazine". Concorra já antes que os cupões se esgotem! E o melhor é que pode oferecer este funeral a alguém que estime! Imagine a expressão da sua cara-metade quando você lhe oferecer um funeral no vosso aniversário de casados! Não perca a oportunidade de oferecer esta prenda única! 
Caso um funeral de luxo não seja aliciante o suficiente para si, não perca os próximos sorteios do Grupo Santiago: "Passe duas semanas numa ilha deserta com um discípulo de Jack, o Estripador!" e ainda "Ganhe uma estadia nas urgências do Hospital de Santa Maria, com tratamento VIP!". Não percam!
Nota: Obrigado à Lúcia II, cara e estimada leitora do estaminé por me ter alertado para esta oportunidade única de ganhar um funeral de luxo.
Escrito por: João Cacelas às 15:33
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (17) | favorito
|
Quarta-feira, 29 de Julho de 2009

Serial Killers: os melhores vizinhos que se pode ter

Todos nós temos (ou tivemos) vizinhos chatos. Daqueles que às vezes dá vontade de mandar com uma moca de Rio Maior na cabeça e ficar a vê-los guinchar como se fossem uma ratazana com o bucho carregado de 605 Forte. Ou então podemos pedir educadamente que eles façam menos barulho, embora isso só resulte durante dez minutos. No entanto, há uma "espécie" de vizinhos que não incomodam nem uma mosca: os serial killers. Sim, bem sei que isto parece parvo (parece não, é mesmo) mas passo já a explicar tudo, tintim por tintim:
- Os serial killers são, regra geral, indivíduos extremamente pacatos e que não incomodam nem uma mosca, logo nunca nos teremos que preocupar com barulho, festas às tantas da noite e coiso e tal e tal e coiso;
- Esta malta costuma ser extremamente educada e prestável. É frequente ver-se em noticiários depoimentos de vizinhos de assassinos em série enaltecendo as suas capacidades humanas: " O Herlander era serial killer?! Não me acredito! Então ele era tão bom moço! Até me levava a Milú a passear porque eu fui há pouco tempo operada à hérnia e não podia andar d'um lado para o outro. Até me ia às compras e tudo, fazia-me o jantar, a cama...";
"Então mas e ó João...e não é perigoso ter um vizinho serial killer? Não há o risco de acordarmos feitos às postas?", perguntam vocês. Ora aí está uma bela pergunta...mas não, não há risco nenhum de acordarem cortados às postas. Em primeiro lugar, porque se tiverem sido cortados às postas, não irão acordar visto que faleceram e em segundo porque o serial killer é pessoa que não gosta muito de "trabalhar" na sua área de residência para não dar muito nas vistas e porque até simpatiza com a vizinhança.
- Outro aspecto interessante nestes indivíduos é a sua cristandade. Os serial killers são bons cristãos que servem Deus de forma fervorosa (se calhar até demais). É costume assassinarem pessoas porque Deus os ordenou, segundo eles. Ou seja, em última análise um serial killer não passa de um servo de Deus que anda a "limpar" a maldade da Terra. São como os padres, mas mais brutos. Por isso, desde que não seja narcotraficante, prostituta, proxeneta ou algo do género, está safo.
Posto isto, se têm um vizinho pacato, calado, que viva sozinho, que seja uma jóia de moço e crente a Deus acreditem que ele bem pode ser um serial killer. Ou isso ou um padre.
Escrito por: João Cacelas às 13:49
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (18) | favorito
|
Terça-feira, 21 de Julho de 2009

Pedro Santana Lopes, o regresso

Já o podem ter "assassinado politicamente" várias vezes mas ele, o menino guerreiro, o Calimero, o chorão da política portuguesa volta sempre à carga. Falo, claro está, de Pedro Santana Lopes, que com o seu estilo muito peculiar e aquela coisa estranha que tem na parte de trás do cabelo voltou do mundo dos "mortos" para tomar de assalto (outra vez) a Câmara de Lisboa e a avaliar pelas sondagens, pode muito bem vir a vencer a eleições autárquicas, a realizar a 11 de Outubro deste ano. 
E vem em grande altura: Mário Lino anda muito caladinho e Manuel Pinho desapareceu do mapa, ficando assim a faltar um político/"stand-up comedian" no nosso panorama político nacional (o Alberto João Jardim não conta, esse é só parvo). Sê bem-vindo Santana e que continues ao mais alto nível, nessa coisa que só tu sabes fazer, nessa magia só tua.
E é desta forma singela que o Hemiciclo assinala o regresso de Santana Lopes, o nosso Calimero, o nosso chorãozinho de estimação. Santana, isto é para ti:

João Cacelas

 

Ainda à "direita", Paulo Portas assumiu recentemente que irá fazer de tudo para impedir que na próxima legislatura a lei da eutanásia seja aprovada. Ó Paulinho das feiras: o menino também anda com esse penteado hediondo na rua e ainda ninguém o impediu de o usar, pois não? E olhe que isso é que é um crime...vá, deixe lá as pessoas morrer com alguma dignidade em vez de andarem a vegetar numa cama de hospital durante anos e anos, ok? Vá lá dar uns beijinhos e abraços a meia dúzia de peixeiras, que é o que sabe fazer melhor.

Escrito por: João Cacelas às 10:40
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (12) | favorito
|
Sábado, 11 de Julho de 2009

Vem devagar emigrante (texto não recomendável a ninguém)

Olá fanecas. Vós sabeis que este indivíduo que vos escreve gosta de analisar as grandes músicas produzidas pelas estrelas mais cintilantes do nosso panorama musical. Já o fiz com a grande Ronalda (aqui) e mais recentemente com o não menos grande André Sardet (aqui), mas nenhuma destas músicas se compara ao que hoje se vai passar. A música que vos apresento chama-se "Vem devagar emigrante" e é uma espécie de segundo hino nacional, uma homenagem sentida que o seu intérprete, Graciano Saga - autor de êxitos como "A melhor avó do mundo", "Deus protega o meu país", "Emigrante, só por ti" e "P'ro ano se Deus quiser" ou ainda "Porque choras criancinha?" - faz a todos os emigrantes portugueses que todos os anos fazem milhares de quilómetros para chegarem ao seu "rico Portugal".

A letra desta bela cantiga começa com um conselho muito sábio que o nosso Graciano dá a todos os emigrantes que viajam de carro para Portugal, alertando-os para virem devagar, atirando de seguida com uma frase do povo, que é sábio e nunca se engana: "mais vale um minuto na vida, do que a vida num minuto". Não satisfeito com a coisa, achando que este sábio conselho possa ser insuficiente, Graciano Saga começa a relatar o drama cruel de um imigrante infeliz que na estrada encontrou a morte e canta assim: "Passou-se no mês de Agosto este drama tão cruel de um imigrante infeliz. Foi tanta a pouca sorte, na estrada encontrou a morte". Atentem no engenho de Graciano Saga que, de forma a arranjar uma palavra que rimasse com morte, troca "azar" por "pouca sorte". Mas ó Graciano, tu sabes que quinar rima com azar, certo? Ora vê lá se assim não fica melhor: "foi tanto o azar que na estrada acabou por quinar". E sendo nós o país das Quinas até calha bem, não? Mais à frente, o nosso artista revela-nos a causa do acidente, desta forma tão linda e singela: "vinha a grande velocidade, foi o sono que lhe deu, o controlo ele perdeu desse carro de maldade". Então ó Graciano, o gajo vem com sono, não pára para esticar as pernas nem para descansar e a culpa é do carro?! Note-se uma vez mais o engenho de Saga, no que a rimas diz respeito. No entanto, este rima é descabida visto que todos sabemos que os carros dos emigrantes da Alemanha (como é o caso) são daqueles Mercedes tipo chaimite e aquilo não quebra assim às primeiras, ó Graciano. Vai mas é pôr as culpas noutro. Mas, continuando, como nas cantigas de Graciano Saga uma desgraça nunca vem só, ficamos ainda a saber que o nosso emigrante vinha a Portugal ver o paizinho que estava doente numa cama de hospital e que só tinha uma coisa na ideia: "o seu paizinho beijar ao chegar a Portugal" sendo que ao saber do acidente do filho, o paizinho "que tanto sofria, nunca mais o filho via, fechou os olhos morreu". Com esta cartada de última hora, Graciano eleva o drama desta cantiga para algo nunca antes visto. No entanto, achando que duas mortes é pouco para apenas uma canção, Graciano Saga dispara: "ele não vinha sozinho, trazia também consigo sua mulher e filhinho. Sem dar conta de nada e naquela madrugada morrem os três no caminho". Outro aspecto interessante neste "Vem devagar emigrante" é o facto de Graciano Saga incluir o teletransporte na sua canção, senão vejamos: primeiro, o artista diz "seu destino acabou por ser fatal numa estrada em Espanha" e pouco depois atira: "Mas tudo foi de repente, partiu de Benavente, o drama aconteceu". É pá, ó Graciano, tens que me dar umas aulas de Geografia...então, o destino dele é fatal em Espanha e de repente já está em Benavente? Das duas uma: ou ele teletransportou-se ou vinha a 1000 km/h e se foi esse o caso é muito bem feito que tenha tido um acidente porque conduzir a essas velocidades é um acto muito irresponsável. Ou então Graciano Saga não conhecia nenhuma terra em Espanha que rimasse com "de repente", também é uma hipótese...mas, para quem pensa que o drama acaba aqui, desengane-se porque há mais, pois o nosso emigrante num "camião foi bater e deu-se o choque frontal". E é o facto de nunca sabermos o que se passou com o camionista que torna esta canção ainda mais dramática e inquietante. Terá morrido? Teria deixado uma mãezinha doente no hospital, cujo último desejo era ser beijada pelo filho? Nunca saberemos...

É por esta canção ( e por outras) que Graciano Saga é considerado por muitos como o cantor da desgraça (a meu ver, só me parece um tipo preocupado) e é talvez, o único cantor do mundo que tem na sua página de internet anúncios publicitários relativos a funerárias e (ou) a produtos de tratamento capilar. Aqui fica o link para a sua página (não oficial), que contém algumas letras deste a e outro para a música "Vem devagar emigrante" no Youtube. Graciano Saga, o homem que passou ao lado de uma grande carreira como coveiro.

Escrito por: João Cacelas às 12:11
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (15) | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Março de 2009

O Festival do Chocolate e o do Chicolate

Ontem, em Óbidos terminaram dois eventos que animaram bastante a última semana que passou. Falo-vos, claro está, do Festival do Chocolate e do Festival do Chicolate. Pelas vozes das pessoas presentes parece-me que o Festival do Chicolate foi o mais visitado, era tudo: "vamos ao Festival do Chicolate" mas eu cá fui ao do Chocolate e olhem que aquilo estava bem composto.

Devo dizer que gostei do Festival do Chocolate mas uma vez mais parece-me que o do Chicolate era mais giro.  Pelo menos a maioria das pessoas disseram que gostaram muito do Festival do Chicolate e sobre o do Chocolate não disseram nem um pio. Parti então numa demanda para descobrir onde raios era o Festival do Chicolate, segui as indicações das pessoas que iam para lá (para o do Chicolate e não para o do Chocolate) mas não dei com a coisa (por culpa da falta de sinalética existente em Óbidos) e assim tive que me contentar com o Festival do Chocolate...mas para o ano o tão falado Festival do Chicolate não me escapa.

Nota: Mas nem tudo ficou perdido, pois embora não tenha encontrado o Festival do Chicolate fiz uma descoberta que mudará para sempre o meu pensamento sobre a morte: encontrei uma agência funerária (em Óbidos) chamada "Tarzan". Sim, isso mesmo, a "agência funerária Tarzan, onde você dará o seu último grito!! Aaaaaaaaaahhhaaaaaa!!!!"

Nota 2: Amiguinhos, desculpem lá a ausência mas não tenho tido tempo para escrever nada. Não que vocês se ralem com isso mas pronto, aqui fica o meu pedido de desculpas.

Escrito por: João Cacelas às 09:40
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (18) | favorito
|
Domingo, 8 de Março de 2009

Funerais low-cost: falecer nunca foi tão barato!

Olá coisinhos! E esse fim de semana? Foi gostoso?

Depois do sucesso das companhias aéreas low cost eis que chega até nós o conceito de funerais low cost. Sim, leram bem: funerais low cost.

E será que também farão aquelas promoções malucas como nas companhias aéreas? Do tipo: "de 20 de Março a 20 de Abril o seu funeral tem 50% de desconto em todos os serviços e ainda lhe oferecemos uma coroa de flores absolutamente gratuita!!" ou então: "Aproveite para falecer com a sua cara-metade no Verão pois temos para si uma mega promoção de enterre 2 e pague 1!! Faleça já antes que esgote!! Promoção válida até ao final do Verão" ou ainda: "Falecer nunca foi tão barato! Com a Agência EasyFuneral desfrute de todos os serviços de um funeral normal a metade do preço! E sem quaisquer burocracias e taxas que isso só aborrece! E para aborrecimento já basta o seu falecimento!!".

Em suma, é um conceito muito semelhante ao das companhias aéreas só que em vez de um bilhete de ida e volta só compramos o de ida e claro que nunca podemos pedir opiniões a amigos sobre qual a melhor companhia low cost existente no mercado.

Escrito por: João Cacelas às 21:07
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (10) | favorito
|
Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009

E-mails distribuidores gratuitos da desgraça e da estupidez no meu mail, não obrigado

Está um indivíduo muito bem disposto, assim logo cedinho de manhã quando abre a sua caixa de correio e se depara com muitos mails daqueles que temos que passar a 20 pessoas em não sei quantos dias senão acontece-nos uma desgraça terrível como crescer um "frunco" no rabo ou até a nossa morte. Um desses mails que recebi hoje era uma foto que tinha que passar a vinte pessoas, caso não passasse era capaz de morrer em breve,  caso passe a foto, dizem que sou menino para ganhar o jackpot de 130 milhões de euros no Euromilhões. Ora, a meu ver e desculpem se estiver errado, malta que não tem mais nada que fazer da vida a não ser inventar mails parvos, para se ganhar o jackpot de 130 milhões de Euros não basta reenviar a foto a 20 pessoas. Há quem diga que também é capaz de dar jeito jogar no Euromilhões e rezar a Deus Nosso Senhor, o Cristo para que o prémio chegue ao super jackpot (coisa que é capaz de demorar um anito ou mais...). 

Fica aqui o aviso: a próxima pessoa que me enviar um mail a dizer que tenho que o enviar a não sei quantas pessoas, no prazo de x horas pois caso contrário, uma enorme tragédia se abaterá sobre mim, vai ver o que é realmente uma tragédia a sério quando eu a começar a chatear à séria. Mas é que é mesmo.

Nota: Como repararam, não reenviei o mail, de maneira que caso não escreva mais posts nos próximos dias, sou capaz de ter ido ao meu próprio funeral.

Nota 2: Dava-me jeito um autocolante na caixa de email, tipo aqueles das caixas de correio que dizem "publicidade não endereçada, aqui não." Só que no caso teria que ser "e-emails chatos e distribuidores gratuitos da desgraça e da estupidez, aqui não". Alguém sabe onde isso se arranja?

Escrito por: João Cacelas às 10:39
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Dezembro de 2008

Ainda dizem que somos (portugueses) pouco civicos

Um homem foi esfaqueado até à morte por se ter recusado a largar o microfone e parar de cantar num bar de karaoke em Bornéu (um lugarejo algures na Ásia). 

Depois de ler isto e de reflectir um pouco, cheguei à conclusão que nós, portugueses, até temos algum civismo. "Porquê João?" Porquê?! Mas vocês ainda me perguntam porquê? Ora vejam lá o caso do Tony Carreira: o homem não pára de cantar e apesar do sofrimento que isso causa a muito boa gente (eu incluído) ainda ninguém lhe enfiou com um objecto cortante pelo bucho adentro, ou acima, dependendo do ângulo de ataque. 

Tenho a impressão que se o Tony vivesse no Bornéu já tinha sofrido o mesmo fado deste senhor do karaoke e há muito, muito tempo.

Escrito por: João Cacelas às 13:57
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (13) | favorito
|
Quarta-feira, 8 de Outubro de 2008

É canibal sim senhor, mas "tempera a comida" de forma saudável

"Anthony Morley, um cozinheiro de 36 anos de Leeds está a ser julgado pelo crime de homicídio do seu amante Damian Oldfield, de 33 anos de idade", mas há mais meus meninos. É que aqui o Anthony não se ficou só por dar 20 facadas no bucho do Damian, não, não, que isso era pouco para o menino, por isso retalhou parte da coxa do seu amante e fritou-a em azeite. Reparem meus amigos: o Anthony fritou a coxa em óleo vegetal? Não. Com manteiga? Também não. E porquê? Porque são coisas que fazem mal e não dão grande sabor à comida. Fritou em azeite e fez ele muito bem, que sempre é mais saudável e com mais classe. E talvez o Tony tenha juntado umas folhinhas de manjericão para dar ainda mais requinte ao repasto, tornando-o digno de uma bela ceia de Natal. Coxinha de amante frita em azeite, enfeitada com umas folhinhas de manjericão e com uma batatinha a murro a acompanhar, que pitéu.

Concluindo: Anthony até pode ter cortado o amante às postas e ter comido uma parte do corpo deste, mas na hora de fazer o "petisco" optou por temperá-lo com azeite, o que só lhe fica bem, pois assim a comida sabe muito, muito melhor. Tenho para mim que o Azeite Gallo podia incluir este rapaz num dos seus próximos anúncios. Uma coisa assim do género: "Depois das minhas chacinas e de preparar partes do corpo dos meus amantes para comer, escolho sempre Azeite Gallo Clássico para o tempero. O seu aroma suave dá às refeições um tempero suave, requintado, saboroso e muito saudável. Azeite Gallo a cantar desde 1919".

 

Nota: No mesmo sitio onde li isto, vinha uma alusão a um canibal alemão, Armin Meiwes, que em 2001 matou e comeu parte do corpo da sua vítima. Hoje em dia o Armin mudou de gostos alimentares e só se dedica a matar alfaces. Tornou-se vegetariano pois então.

Escrito por: João Cacelas às 15:32
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (4) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

Porque é que

eu começo este tipo de posts com "porque é que"?

Agora a sério: porque é que se diz a velhinha frase "Até amanhã, se Deus quiser"? Não faria mais sentido: "Até amanhã, se a Morte quiser"? Afinal, de contas é a Ceifeira quem escolhe os seus "alvos" e não Deus...certo?

Escrito por: João Cacelas às 17:17
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (8) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Porque é que

em todos os velórios há alguém que solta as frases "nós não somos nada neste Mundo! Deixemo-nos de intrigas e de zangas porque não somos nada! Vamos todos lá parar (ao Céu), por isso temos é que nos dar bem, sem chatices! Não somos nada...não vale a pena as zangas, que acabamos por morrer todos, temos é que nos dar bem em vida...não somos nada..."?

Escrito por: João Cacelas às 18:08
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (23) | favorito
|
Domingo, 13 de Julho de 2008

"Death at a funeral"

Ontem, depois de brindar uns amigos com umas palhaçadas num Karaoke, ainda animada da noite deu-me para ver um filme. "Death at a funeral", uma comédia negra, hilariante. Gostei bastante. Mas, o mais giro é que durante todo o filme me pareceu estar a assistir a um papel que assentava que nem uma luva no nosso "querido" aspirante a primeiro desse grande partido (mesmo partido) PPD/PSD. Não é que o actor principal, Daniel/ Matthew Macfadyen, é a cara chapada do Pedro Passos Coelho? Igualzinho...

Let's look at the trailer! :D (o trailer do filme não faz jus ao mesmo)

 

 

      

     


 

Escrito por: Regina às 18:32
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (3) | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Junho de 2008

Portugal perde um grande vulto...

Hoje, dia 26 de Junho de 2008 Portugal ficou mais pobre..."Quê?? Mas quem morreu? O Manoel d'Oliveira? O Herman? A Paula Rêgo?"- pensarão vós, entristecidos com a notícia da morte de uma das grandes figuras de Portugal - mas foi pior, meu amigos, pior do que qualquer um desses óbitos putativos. Hoje morreu a cobra de Cinha Jardim. De acordo com a senhora ela era "linda, boa e foi para o céu". 

As más-línguas dirão que uma cobra já foi e que só falta uma. Pois eu, complacente que estou com a dor de Cinha digo: Cinha pá, Portugal pode ter perdido uma cobra fantástica, mas o Céu é agora um sítio melhor com a presença dessa tua cobra magnífica e espectacular.

Neste momento muitos de vós pensam que esta notícia não interessa nem ao Menino Jesus....pensamento esse que não poderia estar mais errado, pois se afinal a cobra vai para o Céu...só espero é que o Nazareno não tenha medo de cobras...

Escrito por: João Cacelas às 12:15
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (7) | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Junho de 2008

Conversa de morte

Olá, tudo bem? Parece que finalmente é Verão e o catano (está bem que hoje o tempo está cinzentote, mas quente) e que o calor e o sol vieram para ficar, para enorme gáudio de miúdos e graúdos e das agências funerárias. "Das agências funerárias??", pensam vocês com ar de espanto. Mas fiquem sabendo meus meninos, e sei isto de fonte muito segura, que o Verão é, digamos, a "época alta" não só para as agências de viagens mas também para os amigos das funerárias, parece que morre muito mais gente nesta altura do ano e tal. Isto levou-me a pensar como é o dia-a-dia de uma agência funerária  quando o negócio anda na mó de baixo e suponho que deve ser mais ou menos isto:

-Agente funerário 1: "É pá! Olha que o negócio anda pelas horas da morte!"

-Agente funerário 2: "Pois anda...pois anda...e mortos nada, nicles. Isto anda mesmo morto..."

-Agente funerário 1: "Isto o que dava jeito era que houvesse para aí um surtozito de uma doença qualquer, um vírus tropical ou algo que o valha."

-Agente funerário 2: "Também não sejas assim! Está bem sim senhor que a malta precisa que morram pessoas, mas assim já é ser mauzinho..."

-Morto que está a ser preparado: "Pfffff..."

-Agente funerário 1: "Ei que pivete pá! Porque é que estes gajos mesmo depois de mortos ainda mandam gazes pá! Foge! Isto é mais mortal que gás sarin!! Mas olha, isto o que era bom era que já fosse Verão..."

-Agente funerário 2: "Pois é...para começar a falecer gente como crescem raminhos de salsa, assim tudo a cair que nem tordos, para avivar o negócio e pronto, o calor e a praia que também são agradáveis...e mais uns falecimentos..."

Dever ser mais ou menos isto, acho eu...

Músicas, cantigas, melodias e seus semelhantes: Stayin' Alive, Bee Gees
Escrito por: João Cacelas às 15:27
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (2) | favorito
|

.Os oradores:

.Translator (para coisinhos de outros países e planetas)

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Caso queira pesquisar sobre coisas, assuntos ou temas:

 

.Intervenções mais velhotas, assim a cheirar a mofo:

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Intervenções recentes:

. Queridos, mudei o barracã...

. Serial Killers: os melhor...

. Pedro Santana Lopes, o re...

. Vem devagar emigrante (te...

. O Festival do Chocolate e...

. Funerais low-cost: falece...

. E-mails distribuidores gr...

. Ainda dizem que somos (po...

. É canibal sim senhor, mas...

. Porque é que

. Porque é que

. "Death at a funeral"

. Portugal perde um grande ...

. Conversa de morte

.tags

. todas as tags

.Cuscas e cuscos (ladies first)

Counters
Counters
Creative Commons License
O Hemiciclo by João Cacelas is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

.O meu e-mail, ou melhor emel. Caso queiram deixar alguma sugestão ou crítica, enviem para aqui:

joao_cacelas@hotmail.com

.subscrever feeds