Quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

Biologia portuga: a Unhaca

Mais que uma parte do corpo do home portuga, a Unhaca é uma extensão deste (do portuga). Há quem diga que é o carro ou o fato de treino de cores garridas e de facto tudo isso é importante, mas a Unhaca é única porque é mais que um mero acessório de beleza, é mais que um ditame do exigente mundo da moda do home portuga, vai muito além disso, é uma verdadeira Instituição, uma Religião. A Unhaca está para o portuga como o Budismo está para os Tibetanos ou como o Benfiquismo está para os Benfiquistas ou como a Corrupção está para os Autarcas portugueses.
E toda esta adoração que os homes têm pela Unhaca não se deve apenas ao verdadeiro colírio para os olhos que é ver uma Unhaca. Isso seria muito fútil e home que é home não é fútil que isso é coisa de rabiças. 
A Unhaca é mais que um mero capricho de um "fashion victim" da moda portuga, ela tem inúmeras utilidades (talvez até mais que o canivete suíço do saudoso Mcgyver): trata de toda a higiene intima do portuga, que é coçar o escroto e limpar o nariz e os ouvidos (e neste sentido é melhor que um cotonete porque esse o portuga não sabe por onde já passou e como home de asseio que é, não quer cá javardices); se estiver bem tratada e em forma, consegue abrir latas e garrafas de cerveja com a maior das facilidades; serve também como arma de auto-defesa, sendo tão ou mais mortífera que uma faca de mato; e tal como estas, existem muitas mais funções que agora não me apetece escrever.
Mas, além da praticidade que oferece ao portuga e que lhe facilita sobremaneira o seu dia-a-dia, a Unhaca "carrega" uma elevada componente sexual, servindo não só para conquistar fêmeas, mas também para durante o acto sexual o home estimular a sua parceira (estudos indicam que os homes com Unhaca proporcionam mais orgasmos às suas fêmeas), existe inclusive, um Kamasutra da Unhaca, recentemente lançado pelo Chico de Alfama.
Quanto à velha discussão do tamanho...é claro que no caso da Unhaca este importa e muito. E quando o home consegue conjugar com mestria a Unhaca e o Palito durante o acto sexual, consegue levar a sua fêmea à loucura total, num frenesim sexual sem igual em todo o Reino Animal.
No entanto, apesar de todas as suas virtudes e vantagens, há cada vez menos Unhacas. É claro que isso é uma consequência directa do facto de haver cada vez menos homes, mas, ainda vamos a tempo de voltar a colocar a Unhaca nas luzes da ribalta. Para tal, eu sugeria que se criasse uma modalidade desportiva em que a Unhaca fosse senhora e rainha. Devido à sua forma aguçada, teria que ser algo semelhante à esgrima em que os homes e os jovens aspirantes a homes se degladiavam em perigosos duelos com as suas Unhacas. A fim de atrair os jovens para esta modalidade ser-lhe-iam oferecidos ordenados ao nível dos futebolistas (tal como o mediatismo) e com toda a certeza, esta modalidade rapidamente se tornaria tão concorrida como o futebol, não tardando a surgir o CR9 da Luta de Unhaca portuguesa, cuja Unhaca todos os jovens portugueses imitariam.
E tenho para mim que nos Jogos Olímpicos seriamos sempre candidatos crónicos à medalha de ouro...
Escrito por: João Cacelas às 18:00
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Domingo, 30 de Agosto de 2009

Biologia portuga: o Tubarão-Póia

Esta espécie rara, parente relativamente afastado da família dos tubarões, tem como habitat natural as águas cristalinas do Algarve. Não se pense no entanto que, tal como acontece com os tubarões em geral, o Tubarão-Póia só aprecie a água quente, pois também é um bicho que se possa encontrar em águas mais frias, embora prefira as quentes porque lá se está melhor.
O Tubarão-Póia é a prova provada que o portuga é amigo dos animais, pois sem ele esta espécie nunca poderia sobreviver nem prosperar como tem feito. Por isso, parem lá de dizer que o portuga não é amigo dos animais e tal e coiso porque se não fosse o portuga, espécies como o Tubarão-Póia, o Peixe Garrafa, o Garrafão Baleia ou o Balde-Marinho, nunca poderiam viver em paz e harmonia na natureza. Sem os portugas nas praias para alimentar o Tubarão-Póia esta espécie nunca poderia existir e quantos mais portugas estiverem nas praias, mais Tubarões-Póias "dão à costa", o que mostra uma certa relação "íntima" entre os portugas e os Tubarões-Póia, cujo porquê os biólogos ainda não conseguiram desvendar...
Tal como acontece com os chineses, as pessoas têm a mania de dizer que os Tubarões-Póia são todos iguais, mas isso é tão falso como a produção da Maya para a FHM, visto que há diferenças entre as várias subespécies do Tubarão-Póia: o seu tamanho, cor e forma podem variar consoante a alimentação. Por exemplo, um Tubarão-Póia que funcione à base de fibras terá uma coloração mais escura e será maior do que um que funcione à base de fritos. Também pode haver uma diferença ao nível da textura, de espécie para espécie, mas isso deixo para quem queira ter um frente-a-frente com esta temível criatura, descobrir.
Apesar de ser uma criatura muito temida (e com razão), não há até hoje registos de mortes causadas por ataques do Tubarão-Póia, quando muito houve alguns vómitos e uma ou outra pessoa engasgada, mas nada demasiado grave. No entanto, há que estar sempre alerta pois esta espécie é extremamente silenciosa e furtiva, podendo atacar quando menos se espera. Eu que o diga, que ia sendo atacado por um, não tivesse sido alertado por banhistas que tiveram a bondade de me livrar de um possível encontro imediato com o Tubarão-Póia, também conhecido como O Grande Cócó Castanho.
A fama do Tubarão-Póia tem vindo a crescer de tal maneira nos últimos tempos que até já chegou a Hollywood, onde Steven Spielberg se prepara para começar a rodar uma sequela do blockbuster "O Tubarão", baseada nesta espécie, cujas filmagens feitas no Algarve no próximo ano.
Escrito por: João Cacelas às 21:34
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (14) | favorito
|
Quinta-feira, 13 de Agosto de 2009

Antropologia Portuga: o deita abaixo ou "Velho do Restelo"

Dono de um discurso fatalista, o deita abaixo é uma das espécies portugas mais antigas do nosso Portugal, sendo já referenciado na obra-prima de Luís de Camões, "Os Lusíadas", no episódio do Velho do Restelo. Há quem defenda que os deita abaixo não são mais do que simples pessoas solitárias que após terem sofrido alguns dissabores na vida se tornaram pessoas amargas e maledicentes, mas eu cá acho que isso é mesmo só falta de sexo.
O deita abaixo é uma espécie saudosista por natureza, queixando-se com frequência que já não há coisas como antigamente e que no antigamente é que se vivia bem. É frequente ouvir da boca desta espécie um sonoro "isto é só meeeerdaaaaa!!! Antigamente é que era bom!! O Salazar é que cá faz falta!" E esta frase serve para tudo. Ora aqui ficam vários exemplos: 
- "Manel, vou fazer pudim caseiro, daquele que tu gostas!"
- "Deve sair um rico pudim deve! Isto agora é só meeerdaaa! Já não há pudins como no tempo do Salazar, aí é que se vivia bem!"
- "Então pai, gostas do meu carro novo?"
- "Olha, um carro...para que é que tu queres um carro? No tempo do Salazar a gente andava de burro e ninguém morreu por causa disso e nem sequer se ouvia falar nos ozonos e nessas coisas, homem! Isto agora é só meeerdaaa! Havia de cá estar o Salazar que isto entrava tudo nos eixos que era uma lindeza!"
- "Pai, comprei o novo Iphone. Faz coisas muito divertidas, queres ver?"
- "Olha, comprou um Iphone que faz coisas muito divertidas...isso é só meeeerdaaa, homem! No tempo do Salazar é que se fazia Iphones de jeito, não é cá essas paneleirices que vocês usam agora!"
- "Mas pai, no tempo do Salazar não havia Iphones..."
- "Não havia, mas tenho a certeza que se houvesse era melhor que essa merda!"
Além de classificarem tudo como sendo matéria fecal, o deita abaixo têm mais duas paixões: o vinho (mas apenas o tinto, porque para esta espécie o vinho branco só serve para pôr na comida e o verde é coisa de rabiças e estivesse cá o Salazar e não havia nem vinho verde, nem rabiças) e o Benfica (que só por curiosidade é a única coisa que de facto só era boa no tempo do Salazar...), dois estandartes do regime.
Especímenes sóbrios e que gostam pouco de dar nas vistas, os deita abaixo não têm grandes preocupações com o seu visual, até porque isso é coisa de rabiças e de quem não tem nada para fazer. No entanto, há um pormenor que nunca descuram: a mola a prender a bainha das calças para que estas não se sujem nas correntes das suas bicicletas "pasteleiras". E tal como os machos, também não dispensam o bom do pente no bolso das calças, para o caso de ser necessário "puxar lustro" ao cabelo, com o auxílio de uma boa porção de cuspo.
Apesar de serem criaturas solitárias e de ser muito raro encontrar grandes concentrações desta espécie no mesmo local, isso não quer dizer que não haja união entre os deita abaixo. Exemplo disso foi o programa "Os Grandes Portugueses", onde Salazar foi considerado o maior português de todos os tempos graças à união e esforço conjunto de todos os deita abaixo. A vitória de Salazar não foi só uma demonstração da união e força dos deita abaixo mas também que esta é uma espécie que é cada vez mais abundante em Portugal. Ou então que tem muito saldo para gastar no telemóvel.
Escrito por: João Cacelas às 11:22
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (10) | favorito
|
Segunda-feira, 10 de Agosto de 2009

Antropologia Portuga: o macho lusitano ou home

O macho lusitano, também conhecido por home ou gajo de Alfama é uma das espécies mais antigas em Portugal. Há quem diga, inclusive, que esta espécie é descendente directa do já extinto Homem de Neandertal, mas na minha opinião, é apenas mais javarda que o Homem comum.
Para encontrar exemplares desta espécie basta dirigir-se a um café que tenha SportTV, uma empregada com um par de seios de volume considerável, mines frescas e tremoços para acompanhar. Caso não haja uma empregada com seios volumosos, um calendário da Samantha Fox também serve. Mas, apesar de ter nos cafés o seu habitat natural, também é possível encontrar machos lusitanos noutros locais, como um caixote do lixo, muito utilizado para jogatanas de cartas.
Os machos são verdadeiros animais sociais e como tal, é extremamente comum vê-los em grandes bandos. As suas principais actividades são: ver o Benfica no café e andar à porrada porque houve alguém que disse que o Benfica é uma merda; jogar às cartas e andar à porrada porque houve alguém que fez batota; beber umas mines ao balcão e andar à porrada porque pensou que estava um gajo a olhar para ele e das duas, uma: ou é maricas ou quer andar à porrada e assim como assim, vai mesmo levar porrada de qualquer maneira; andar à porrada porque não há nada para fazer; ir à borda da estrada esvaziar a bexiga - cheia de cerveja - e voltar para o café para beber mais mines; andar à porrada porque há um macho rival no café; continuar à porrada enquanto a polícia não chega ao café; andar à porrada com a polícia no café; voltar da esquadra e dar porrada no chibo que chamou a polícia. O macho é portanto, uma criatura cujas actividades lúdicas são extremamente complexas.
A gastronomia do macho é muito ecléctica: no Inverno come moelas, orelha, mão de vaca, molhinhos, pipis, tremoços, feijoada e no Verão come moelas, orelha, mão de vaca, molhinhos, pipis, tremoços, feijoada e caracóis. Note-se que para sobreviver esta espécie necessita de beber cerca de 2,5 lt. de cerveja por dia, pois cerca de 70% do corpo do macho é constituido por este líquido e se este ficar mais de 6 horas sem o beber há o risco de desidratação e consequente morte.
Como espécie muito preocupada com a aparência que é, o macho nunca descura o seu visual e indumentária: macho que é macho usa bigode, fato de treino da Nikki de cores garridas, unhaca e um palito na boca. Este acessório é um autêntico chamariz para as fêmeas, pois com o auxílio do palito, o macho não só mostra que tem a dentição impecavelmente limpa, não havendo quaisquer restos de comida presos nos seus dentes, como mostra também a sua habilidade e perícia com o palito, fazendo manobras arriscadas e de rara beleza, que não têm comparação em todo o reino animal. Apesar de dizer que jóias são para rabiças, o macho, dando provas da sua modernidade, também aprecia uma boa peça de joalharia, sendo muito comum vê-lo com um crucifixo de ouro ao pescoço e um anel, também conhecido como cachucho, nos dedos. O macho também não descura o seu cabelo e tem sempre nos seus bolsos um pente para o caso de ser necessário "puxar lustro" ao seu cabelo. Para isso, o macho recorre à brilhantina natural, também conhecida como cuspo, visto que para esta espécie a laca e o gel são para rabiças.
Apesar de todas estas qualidades, o macho (ou home) encontra-se actualmente em vias de extinção e é muito comum ouvir-se "já não há homes como dantes" ou "já não há machos como antigamente".
Agora ide e como diria o grande Raul Solnado, façam o favor de ser felizes. Eu, que não sou nem grande, nem Raul e muito menos Solnado, acrescento: e caminhai com calma por essa longa estrada que é a vida, mas cautela: vão pela estrada nacional, pois apesar de demorarem mais uma horita de viagem, poupam um balúrdio em portagens. 
Escrito por: João Cacelas às 11:06
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (20) | favorito
|
Terça-feira, 5 de Maio de 2009

O horóscopo português ou mais um texto sem qualquer sentido e absolutamente impertinente

Coisos, andava para aqui a pensar num assunto que tem uma importância igual a zero. "E que assunto é esse João?" É pá, tenham lá calma, não é preciso tanto empolgamento! No que eu estava a pensar é porque é que os chineses têm direito a um horóscopo e nós, portugueses, não. Eles não são mais que nós catano! Sim, está bem, eles são 1,2 biliões e nós 10 milhões mas isso não interessa...e vai daí que tive uma ideia a roçar o genial (ou se calhar não). E que ideia foi essa? Hum? Hum? Simples, coisinhos. Acabo de inventar o horóscopo português, que é mais ou menos assim:

Temos os 12 meses do ano e cada mês terá um signo que lhe corresponda. Os signos estão distribuídos por ordem alfabética que nós, portugueses, não somos um povo panisgas de maneira que essas mariquices das constelações e dos alinhamentos dos planetas não são para aqui chamadas. Assim sendo, os signos do horóscopo portuga são: Benfica (Janeiro), Cajó (Fevereiro), Cristiano Ronaldo (Março), Javardola (Abril), Mini Sagres (Maio), Mini Super Bock (Junho), Mulher de Barba Rija (Julho), Nossa Senhora de Fátima (Agosto), Novela da TVI (Setembro), Salazar (Outubro), Trolha (Novembro) e Unhaca (Dezembro). Apresentados os signos passemos aos ascendentes. Isto é muito simples: sendo que cada mês tem cerca de 30, 31 dias (excepto Fevereiro, que é parvo) o ascendente descobre-se da seguinte maneira: se o leitor nasceu na primeira metade do mês, o seu ascendente será o do mês anterior, se nasceu na segunda metade do mês, o ascendente será o do mês seguinte. Para vos dar um exemplo, o tipo que escreve este cócó veio ao mundo no dia 10 de Abril, logo é Javardola com ascendente em Cristiano Ronaldo. Vejamos o signo portuga de uma figura pública escolhida de forma absolutamente aleatória: José Sócrates, que nasceu a 6 de Setembro. O seu signo é Novela da TVI (que até calha bem visto que ele ama a TVI) com ascendente em Nossa Senhora de Fátima. 

É simples não é? E digam lá que não tem muito mais graça ouvir a Maya a dar os parabéns ao Javardola do dia do que ao Carneiro do dia? Eu pessoalmente, acho que sim. Vocês, se calhar nem por isso. E no fim disto tudo sabem o que era giro, coisos? Era deixarem naquela coisinha que diz "comentar" quais são os vossos signo e ascendente do horóscopo portuga. Era ou não era?

Bom, agora vou até ali acabar de escrever uma dissertação sobre o porquê de na minha modesta opinião o livro digital (Ebook) nunca conseguirá triunfar entre nós da forma como o livro impresso fez. Se calhar é capaz de não vos interessar muito. Ide em Paz, que a Força esteja convosco e que os vossos caminhos nunca se cruzem com os de um homem grande e mau, armado com uma moca de Rio Maior.

Escrito por: João Cacelas às 16:54
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (23) | favorito
|

.Os oradores:

.Translator (para coisinhos de outros países e planetas)

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Caso queira pesquisar sobre coisas, assuntos ou temas:

 

.Intervenções mais velhotas, assim a cheirar a mofo:

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Intervenções recentes:

. Biologia portuga: a Unhac...

. Biologia portuga: o Tubar...

. Antropologia Portuga: o d...

. Antropologia Portuga: o m...

. O horóscopo português ou ...

.tags

. todas as tags

.Cuscas e cuscos (ladies first)

Counters
Counters
Creative Commons License
O Hemiciclo by João Cacelas is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

.O meu e-mail, ou melhor emel. Caso queiram deixar alguma sugestão ou crítica, enviem para aqui:

joao_cacelas@hotmail.com

.subscrever feeds