Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

A Playboy portuga e outra coisa que tem a ver com sexo

Olá. Bem sei que colocar as palavras Playboy portuguesa e sexo na mesma linha é um pouco contra-natura, de maneira que desculpem lá qualquer coisinha.

Aproveito o facto da edição de Fevereiro da Playboy portuguesa estar para sair para as bancas para dar a minha singela opinião sobre esta publicação, coisa que não tive oportunidade de fazer porque andei mesmo muito ocupado.

Ora bem, eu não acho que a Playboy portuguesa seja uma coisa assim tão má. Senão vejamos: tenho a certeza que os amigos que compram este género de revistas (para ver os lindos sorrisos das meninas) não podem usar a velhinha desculpa do "ai, eu só compro a revista por causa dos assuntos abordados...não é pelo enorme par de prateleiras da boa que vem na capa...nem pela pandeireta imponente das trigémeas suecas..." com mais nenhuma revista a não ser com a Playboy portuguesa, visto que ninguém vai acreditar que vocês estão a comprar a revista por causa da boazuda da capa. Até porque não está lá boazuda nenhuma.

Por isso, parem lá de se queixar da revista porque graças a ela, podem continuar as vossas actividades lúdicas de admirar os sorrisos e as maçãs do rosto das meninas (e do Ricardo Araújo Pereira), sem passarem por depravados e isto é genial, a vários níveis. 

Passando para coisas mais alegres, um estudo levado a cabo por uns coisinhos já não sei bem de onde revelou que o sexo faz bem ao coração e à hipertensão arterial (mas só aos homens). 

Ora aqui está uma boa desculpa para os maridos que tenham como actividade lúdica dar umas bicadas na galinha da vizinha, ou melhor, na própria vizinha. É mais ou menos isto:

- "Ai meu malandro! Com que então andas metido com a minha melhor amiga!"

- "Querida, isto não é o que tu pensas..."

- "Não é o que eu penso...mas tu pensas que isso resulta? Só nos filmes meu menino!"

- "Não, a sério...olha, lê isto."

- "Uma receita do teu cardiologista para teres sexo 2 a 3 vezes por semana?"

- " Sim, disse-me que faz bem ao coração e como tu estás com o período 28 dias por mês e nos outros 2 dói-te a cabeça, eu tive que me desenrascar com quem estava mais à mão..."

- "Ah, bom...se é por motivos de saúde, continuem lá com isso que com a saudinha não se brinca...vá, acabem lá isso e depois venham almoçar."

Agora vou ali fazer o almoço. Beijinhos, abraços e muitos palhaços.

 

Nota: o autor não tem qualquer simpatia por maridos adúlteros e é da opinião que esses malandros deviam ter os testículos flamejados com whisky para verem o que era bom. Não se faz uma coisa dessa às mulheres, que são criaturas tão maravilhosas.

Escrito por: João Cacelas às 11:51
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (11) | favorito
|
Domingo, 6 de Dezembro de 2009

Calças pull-up e etc. e coiso

Olá coisas fofas. Ontem à noite, após uma ida ao cinema, para ver mais um daqueles filmes sobre o apocalipse (o 2012, sobre o qual escreverei em breve) deparo-me com algo muito catita: ao passar por uma loja de roupa, vejo na montra as novas melhores amigas das mulheres: as calças pull-up ou anti-celulite (como apregoava o cartaz).

Como se não bastassem as pestanas falsas, as unhas falsas, a base que disfarça todo e qualquer defeito, o Wonderbra, as cintas que disfarçam a barriga, as extensões, agora surge esta pequena maravilha de ganga: calças que tornam todo o rabiosque redondinho e perfeitinho (enquanto estão vestidas, claro está).

Isto é batota, minhas meninas. E da grande. Já imaginaram o que é um indivíduo sair com uma jovem artilhada com todos estes gadgets? Pensa que lhe saiu a sorte grande e quando passam à "fase seguinte", só entre tirar unhas falsas, pestanas, cintas, soutiens push-up e calças pull-up demoram mais tempo do que os preliminares e o acto propriamente dito, tornando aquilo que deveria ser bom numa chatice e tanto.

Já para não falar no trauma que o rapaz pode apanhar, caso as luzes estejam acesas e deparar-se com a sua Cinderela a transformar-se no Shrek (ou na Valentina Torres, que é a mesma coisa) mesmo ali,  à sua frente: as mamocas desenrolando-se como uma carpete, à medida que o "suti-mamas" maravilha vai saindo, a barriga a abater, qual iceberge a espetar-se nas águas geladas do Ártico e por fim, para completar o cenário apocalíptico, a derrocada do rabo, assim que são retiradas as calças mágicas e por aí diante.

E pior é se durante a "acção", as luzes estiveram apagadas e no dia seguinte, o jovem acorda e vê - espalhadas pela cama - unhas postiças, pestanas e a lingerie da moça e sinais dela, nada! E nisto (ainda sobre o efeito do álcool), o jovem pensa que está na Twilight Zone e que a moça com quem passou a noite terá sido abduzida por aliens, tendo sobrado apenas as suas pestanas e unhas.

E quando ela aparece, o jovem depara-se com uma rapariga completamente diferente, o que o poderá levar a pensar que o seu estado de alcoolémia era tanto que se terá enganado na rapariga com que era suposto ir para o "bem bom" e tenha deixado a top model especada no bar. Ou então que aquilo é para os Apanhados.

Além de todos estes inconvenientes há um ainda maior que é o de nos andarem a enganar, aparentando ser algo que não tem nada a ver com a realidade.Mas, pior que isso é estarem-se a enganar a vós próprias.

Vá, deixem-se lá de soutiens push-up, unhas e pestanas falsas, calças pull-up e mostrem-nos quem são na realidade, por dentro e por fora. É que nós, quando gostamos mesmo de alguém não precisamos cá de supermodels, apenas de muito amor e carinho, está bem?

Escrito por: João Cacelas às 14:28
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (18) | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Novembro de 2009

Élvio Santiago, posso-te bloquear da minha Galáxia?

Recomenda-se ao caro leitor que, antes de ir pelo texto abaixo ouça esta maravilha.
A música que acaba de ouvir intitula-se "Vou-te bloquear do meu Hi5" e faz parte do mais recente álbum (homónimo) da "next big thing" da cena pimba/bimba nacional: Élvio Santiago. É possível que boa parte dos leitores não tenham conhecimento da obra deste artista ímpar, o que só vos fica bem. E, também não sou eu quem vos vai explicar visto que isso dava trabalho e a minha afeição por vocês não chega a tanto.
Após o sucesso do seu álbum de estreia, "Vou-te excluir do meu Orkut", Élvio volta a surpreender este mundo e o outro com a sua criatividade, graças a "Vou-te bloquear do meu Hi5", um álbum, onde uma vez mais, o jovem cantor aborda aspectos que têm sido muito pouco explorados no universo musical (vá-se lá saber por quê), como as ferramentas de interacção social, o software do Office, periféricos de informática e hardware.
Mas, não se pense que Élvio Santiago se fica pela inclusão de material informático em letras de amor, ou seja lá o que "Vou-te bloquear no meu Hi5" for. Ele vai mais longe, invertendo as leis da física, graças a isto: "empurraste-me para os teus braços". Desde que ouvi isto, tenho tentado empurrar várias pessoas para os meus braços e até agora, todas as minhas tentativas foram em vão. Já consegui contudo, puxar uma pessoa para longe de mim, o que me acalentou algumas esperanças de um dia conseguir chegar ao patamar de Élvio Santiago e desatar a empurrar gente para os meus braços, tal como cair para cima e deitar-me na vertical.
É de registar também o primeiro verso da cantiga: "as tuas mentiras, para mim eram verdades". Pois, ó Élvio, não digas a ninguém mas vou-te contar um segredo: é por isso que são mentiras mas só nós é que sabemos isso, ok?
Mas, como inverter as leis da física e arranjar uma forma parva de chamar mentirosa à sua ex-namorada são coisa pouca para Élvio, este sai-se com um: "tu juravas ser menina pura(...)mas quando eu te toquei me apercebi, que afinal não eras tão bem comportada". Além de inverter as leis da física, Élvio também consegue detectar se alguém é virgem ou não,através de um simples toque. E, qual garoto birrento que quer ser sempre "primeiros", Élvio fica danado com o facto de não ter uma namorada em "primeira-mão" e acaba tudo com ela, bloqueando-a no seu Hi5.
Daqui só se pode retirar a seguinte ilação: se querem ser amigos do Élvio no Hi5, têm que ser virgens. Olhem que ele descobre pelo toque se são ou não, e se não forem virgens, fica tão magoado que é menino para vos puxar para bem longe dele.
Deixemos a música para nos concentrarmos apenas no artista. Há quem diga que Élvio Santiago é o futuro Tony Carreira, mas eu cá considero-o mais como uma espécie de Nel Monteiro, em versão 2.0. O nome foleiro, a forma de vestir, a cor do cabelo, aquela mistura de "bardajão" com tipo extremamente católico (atentem nas fotos de Élvio, a cuequinha à mostra, mostrando o seu ar "bardajão", lado-a-lado com um bonito "Virgem Santa Maria" ou ainda no vídeo, na foto do meio, o colar de Élvio, que é mistura de um terço com uma folha de cannabis), têm tudo a ver com Nel Monteiro.
Sim, tudo bem, o Élvio não diz "biquini" de uma maneira tão engraçada como o Nel Monteiro, mas compensa-o com a sua forma extremamente peculiar de dizer "MSN" e "excluir". 
E assim termina este post sobre Élvio Santiago, um jovem que passou ao lado de uma grande carreira como vendedor na Worten.
Nota: o autor deste blogue esforçou-se ao máximo para não se rir a cada vez que tinha que escrever "Élvio Santiago" e garante também que nenhum animal foi maltratado durante a produção deste post, isto é, nenhum animal foi forçado a ouvir (exceptuando o autor) "Vou-te bloquear do meu Hi5".
Escrito por: João Cacelas às 17:44
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (20) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

A saga Twilight e os príncipes encantados ou porque raio me lembrei eu disto?

Olá aos dois. Por mais que tente não consigo entender o porquê do estrondoso sucesso da saga "Twilight".
Que me perdoem as fãs, mas a ideia de uma espécie de triângulo amoroso entre uma rapariga humana (que depois se torna vampira), um vampiro (que parece que é vegetariano, o que me parece um bocado antagónico, tipo um psicopata pacifista ou um benfiquista portista) e um lobisomem não é coisa que me puxe muito para ler. É que a escolha nem é muito difícil: eu se fosse à moça ficava antes com o vampiro que sempre sai mais barato comprar um litro de sangue no talho ou fazer uma cabidela do que comprar Frontline para as pulgas e carraças.
Mas, não é para troçar da saga "Twilight" que este texto existe. Estou aqui porque esta série de livros veio alimentar uma esperança em todas as suas fãs: a esperança de um amor impossível e do príncipe encantado (ou vampiro, para as mais sádicas) que chegará no seu cavalo branco para as levar para um mundo de sonho, onde tudo é colorido e muito bonito.
Meninas (e alguns meninos): esqueçam os príncipes encantados e os cavalos brancos (no caso da Cicciolina, pode ficar com o cavalo). Os príncipes também não gostam de ir às compras (até pagam para que o façam por eles); também deixam a casa-de-banho a cheirar mal (e o cavalo então...é cocó aos montes); também não colocam uma base sob os copos quando estão a ver a bola; não sabem cozinhar nem fazer tarefas domésticas (sempre as fizeram por eles); também deixam a roupa suja por todo o lado (sempre tiveram quem a apanhasse).
Em suma, a única diferença entre o príncipe encantado e o homem comum é que um anda de cavalo e o outro de carro ou mota (a não ser que o homem comum seja campino, residente em Samora Correia, Alcochete, Salvaterra de Magos e Chamusca). E até aí, o príncipe não tem vantagem nenhuma: o cavalo não tem tejadilho para os dias de chuva, não tem faróis de nevoeiro, aliás, não tem faróis de qualquer espécie, cinto de segurança, rádio, ar condicionado, anda relativamente devagar e ainda por cima, a sua flatulência polui quase tanto como um carro (e cheira mal), com o bónus de espalhar cocó pelo chão de dois em dois metros. Onde é que está o encanto disto? É só publicidade enganosa.
Vá, deixem lá de se lamentar pelos cantos que são infelizes e que ninguém vos quer, deixem de esperar pelo príncipe encantado e dêem uma oportunidade ao tipo de Famel-Zundapp que passa por vocês todos os dias e vão ver que volta e meia ele até é um tipo às direitas.
Mesmo que não seja perfeito, sempre o podem moldar à vossa vontade que nós (homens) somos fáceis de domesticar. Mesmo.
 
Escrito por: João Cacelas às 13:19
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (19) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Outubro de 2009

Normalizem lá isto, ó UE e restantes autoridades

A Maitê Proença, a polémica do Saramago, a formação do novo Governo, o possível regresso do Jornal de Sexta da TVI (medo)...com tanta coisa a acontecer no país ( e no mundo) e eu lembro-me de escrever um post sobre normas da UE. Sim, isso mesmo, normas (APA, ISO, etc..). Aquelas regras/preceitos/por vezes meras mariquices que a UE cria e que têm que ser cumpridas porque se a ASAE ou a ACT aparecem e nada disso está feito é que é a bonita.
Tudo bem, convém que existam algumas regras e normas que devem ser cumpridas para que não andemos todos a chafurdar na javardice (ou como diriam os grandes Ena Pá 2000, a pedalar na bosta), mas não será demais?
Há procedimentos próprios que têm que ser feitos quando se rala uma cenoura ou se corta um alho num restaurante; têm que se fazer formações por tudo e por nada (até já os varredores têm que o fazer); em suma: está-se a chegar a uma altura em que esta coisa das formações e das normas começa a extrapolar para o plano da parvoíce. Até para espirrar já há normas e procedimentos. Se isto continua assim, qualquer dia até para a nossa vida privada temos que ter formações e normas actualizadas.
Se o caro leitor quiser fazer o seguinte raciocínio comigo - sim, eu sei que custa, mas só um bocadinho não aleija - puxe do seu neurónio e imagine que está no bem bom com a/o sua/seu namorada/o e de repente aparece uma inspecção da ASAE saída do armário e lhe pergunta se você e o ser humano (esperemos) com quem está a praticar o amor têm formação para realizar manobras de carácter sexual, de acordo com a norma europeia ISO - 1234569/8, "isto está tudo muito bonito, mas aqui diz que os senhores não podem fazer a posição frango assado porque a formação que fizeram não abrange essa posição", diz o fiscal com altivez.
Ou que lhe passam uma valente multa porque "a inclinação do seu pénis em erecção não corresponde à estandardizada pela norma ISO - 4596969/4, de maneira que vamos ter que lhe suspender a actividade sexual até isso estar regularizado, está bem?" 
"Ah, ainda por cima são três, quando aqui específica que o limite são duas pessoas! Ui que temos a tenda armada! E a senhora faça o favor de tirar daí a boca porque pelo que estou a ver não tem a norma APA que lhe permite fazer esse tipo de coisa. Vêm para aqui com o «ai, ai, vamos fazer molhadas e coisas giras com a boca», mas depois não têm documentação nenhuma em dia. Vamos ter que passar uma coima e suspender a actividade, ok? E a senhora vai com sorte, que eu vou fechar os olhos quanto ao sítio onde tinha a boca", remata o fiscal com algum escárnio.
Era chato, não era?
E ainda querem legalizar a prostituição em Portugal...estou mesmo a ver como seriam as formações fornecidas pela UE às/os prostitutas/os. E é melhor que as formações/licenças para as posições sexuais venham em pacotes porque se for uma a uma, chiça penico.
"Mas que grande anormal me saiu este tipo", pensam 99% dos leitores deste texto (os restantes 1% preferem o termo "besta"). Pois sou, mas antes isso do ser normal(izado), como cada vez mais acontece na nossa sociedade (especialmente na blogosfera).
Escrito por: João Cacelas às 23:12
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (8) | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Setembro de 2009

Biologia portuga: a Unhaca

Mais que uma parte do corpo do home portuga, a Unhaca é uma extensão deste (do portuga). Há quem diga que é o carro ou o fato de treino de cores garridas e de facto tudo isso é importante, mas a Unhaca é única porque é mais que um mero acessório de beleza, é mais que um ditame do exigente mundo da moda do home portuga, vai muito além disso, é uma verdadeira Instituição, uma Religião. A Unhaca está para o portuga como o Budismo está para os Tibetanos ou como o Benfiquismo está para os Benfiquistas ou como a Corrupção está para os Autarcas portugueses.
E toda esta adoração que os homes têm pela Unhaca não se deve apenas ao verdadeiro colírio para os olhos que é ver uma Unhaca. Isso seria muito fútil e home que é home não é fútil que isso é coisa de rabiças. 
A Unhaca é mais que um mero capricho de um "fashion victim" da moda portuga, ela tem inúmeras utilidades (talvez até mais que o canivete suíço do saudoso Mcgyver): trata de toda a higiene intima do portuga, que é coçar o escroto e limpar o nariz e os ouvidos (e neste sentido é melhor que um cotonete porque esse o portuga não sabe por onde já passou e como home de asseio que é, não quer cá javardices); se estiver bem tratada e em forma, consegue abrir latas e garrafas de cerveja com a maior das facilidades; serve também como arma de auto-defesa, sendo tão ou mais mortífera que uma faca de mato; e tal como estas, existem muitas mais funções que agora não me apetece escrever.
Mas, além da praticidade que oferece ao portuga e que lhe facilita sobremaneira o seu dia-a-dia, a Unhaca "carrega" uma elevada componente sexual, servindo não só para conquistar fêmeas, mas também para durante o acto sexual o home estimular a sua parceira (estudos indicam que os homes com Unhaca proporcionam mais orgasmos às suas fêmeas), existe inclusive, um Kamasutra da Unhaca, recentemente lançado pelo Chico de Alfama.
Quanto à velha discussão do tamanho...é claro que no caso da Unhaca este importa e muito. E quando o home consegue conjugar com mestria a Unhaca e o Palito durante o acto sexual, consegue levar a sua fêmea à loucura total, num frenesim sexual sem igual em todo o Reino Animal.
No entanto, apesar de todas as suas virtudes e vantagens, há cada vez menos Unhacas. É claro que isso é uma consequência directa do facto de haver cada vez menos homes, mas, ainda vamos a tempo de voltar a colocar a Unhaca nas luzes da ribalta. Para tal, eu sugeria que se criasse uma modalidade desportiva em que a Unhaca fosse senhora e rainha. Devido à sua forma aguçada, teria que ser algo semelhante à esgrima em que os homes e os jovens aspirantes a homes se degladiavam em perigosos duelos com as suas Unhacas. A fim de atrair os jovens para esta modalidade ser-lhe-iam oferecidos ordenados ao nível dos futebolistas (tal como o mediatismo) e com toda a certeza, esta modalidade rapidamente se tornaria tão concorrida como o futebol, não tardando a surgir o CR9 da Luta de Unhaca portuguesa, cuja Unhaca todos os jovens portugueses imitariam.
E tenho para mim que nos Jogos Olímpicos seriamos sempre candidatos crónicos à medalha de ouro...
Escrito por: João Cacelas às 18:00
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (6) | favorito
|
Quinta-feira, 13 de Agosto de 2009

Antropologia Portuga: o deita abaixo ou "Velho do Restelo"

Dono de um discurso fatalista, o deita abaixo é uma das espécies portugas mais antigas do nosso Portugal, sendo já referenciado na obra-prima de Luís de Camões, "Os Lusíadas", no episódio do Velho do Restelo. Há quem defenda que os deita abaixo não são mais do que simples pessoas solitárias que após terem sofrido alguns dissabores na vida se tornaram pessoas amargas e maledicentes, mas eu cá acho que isso é mesmo só falta de sexo.
O deita abaixo é uma espécie saudosista por natureza, queixando-se com frequência que já não há coisas como antigamente e que no antigamente é que se vivia bem. É frequente ouvir da boca desta espécie um sonoro "isto é só meeeerdaaaaa!!! Antigamente é que era bom!! O Salazar é que cá faz falta!" E esta frase serve para tudo. Ora aqui ficam vários exemplos: 
- "Manel, vou fazer pudim caseiro, daquele que tu gostas!"
- "Deve sair um rico pudim deve! Isto agora é só meeerdaaa! Já não há pudins como no tempo do Salazar, aí é que se vivia bem!"
- "Então pai, gostas do meu carro novo?"
- "Olha, um carro...para que é que tu queres um carro? No tempo do Salazar a gente andava de burro e ninguém morreu por causa disso e nem sequer se ouvia falar nos ozonos e nessas coisas, homem! Isto agora é só meeerdaaa! Havia de cá estar o Salazar que isto entrava tudo nos eixos que era uma lindeza!"
- "Pai, comprei o novo Iphone. Faz coisas muito divertidas, queres ver?"
- "Olha, comprou um Iphone que faz coisas muito divertidas...isso é só meeeerdaaa, homem! No tempo do Salazar é que se fazia Iphones de jeito, não é cá essas paneleirices que vocês usam agora!"
- "Mas pai, no tempo do Salazar não havia Iphones..."
- "Não havia, mas tenho a certeza que se houvesse era melhor que essa merda!"
Além de classificarem tudo como sendo matéria fecal, o deita abaixo têm mais duas paixões: o vinho (mas apenas o tinto, porque para esta espécie o vinho branco só serve para pôr na comida e o verde é coisa de rabiças e estivesse cá o Salazar e não havia nem vinho verde, nem rabiças) e o Benfica (que só por curiosidade é a única coisa que de facto só era boa no tempo do Salazar...), dois estandartes do regime.
Especímenes sóbrios e que gostam pouco de dar nas vistas, os deita abaixo não têm grandes preocupações com o seu visual, até porque isso é coisa de rabiças e de quem não tem nada para fazer. No entanto, há um pormenor que nunca descuram: a mola a prender a bainha das calças para que estas não se sujem nas correntes das suas bicicletas "pasteleiras". E tal como os machos, também não dispensam o bom do pente no bolso das calças, para o caso de ser necessário "puxar lustro" ao cabelo, com o auxílio de uma boa porção de cuspo.
Apesar de serem criaturas solitárias e de ser muito raro encontrar grandes concentrações desta espécie no mesmo local, isso não quer dizer que não haja união entre os deita abaixo. Exemplo disso foi o programa "Os Grandes Portugueses", onde Salazar foi considerado o maior português de todos os tempos graças à união e esforço conjunto de todos os deita abaixo. A vitória de Salazar não foi só uma demonstração da união e força dos deita abaixo mas também que esta é uma espécie que é cada vez mais abundante em Portugal. Ou então que tem muito saldo para gastar no telemóvel.
Escrito por: João Cacelas às 11:22
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (10) | favorito
|
Sexta-feira, 31 de Julho de 2009

Porquê Maya? Porquê?

Eu tinha um punhado de coisas muito giras para escrever. A sério que tinha, mas depois de ter visto a sessão "fotográfica" da Maya para a FHM o meu cérebro parou por completo. Quem se seguirá a Maya na próxima capa da FHM? A Lucy? E não, não é essa Lucy que estão a pensar. É esta. Assim como assim, até é capaz de dar menos trabalho a retocar as imagens. E depois seguiam a Odete Santos e a Lili Caneças, não?
Espero conseguir recuperar desta experiência traumática este fim de semana, a fim de na próxima semana brindar-vos com algo ligeiramente engraçado. Bom fim de semana a todos.
Nota: Incluo a Lili nesta lista porque houve dois indivíduos que vieram parar ao Hemiciclo graças à "rainha do Jet Set", através das bonitas frases "Lili Caneças em topless" e "Lili Caneças nua". Isto ele há com cada pancada...antes ver carcaças de gazelas putrefactas a serem devoradas por abutres e por hienas. Já quanto à Odete...tem todo o mérito em ser capa da FHM, aquele buço deixa-me doido.
Escrito por: João Cacelas às 13:37
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (27) | favorito
|
Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

O Kamasutra Político: aprenda a arte de bem burlar

Olá aos três. Este post bem que podia ser uma continuação daqueles dois que andam a vadiar algures ali em baixo (sobre a pornografia), mas só porque quem manda aqui sou eu, não vai ser. Dias Loureiro, Oliveira e Costa, João Rendeiro, Fátima Felgueiras, Avelino Ferreira Torres, Major Valentim Loureiro, etc, etc. O que têm em comum estas criaturas abençoadas por Deus, Nosso Senhor O Cristo? Sim, além de serem extremamente sensuais (com particular destaque neste capítulo para Oliveira e Costa), conseguiram f***r Portugal ou um número considerável de portugueses à grande através de uma série de negociatas em que eles saíram escandalosamente favorecidos e apesar de mais tarde terem sido detidos, pouco ou nada lhes aconteceu. Eu poderia ter chamado a isto "pornografia política" e dizer que os políticos fornicam a seu bel-prazer Portugal e/ou os portugueses, mas não quero ir por aí. Também poderia dar sugestões para filmes mas para ver políticos a fornicar Portugal basta ver a AR TV e a coisa dá-se. Não são cá precisos mais filmes, mas, onde se podia inovar nesta coisa da fornicação política era ao nível da literatura, criando o "Kamasura Político: 1001 formas de f***r Portugal e os portugueses em geral". Uma coisa parecida com aquele livro do João Rendeiro, onde ele explica como se ser um banqueiro de sucesso, mas escrito de forma honesta, porque o Rendeiro não explica no livro como se devem desviar somas gigantes de dinheiro para contas offshore ou como aplicar dinheiro de contas-poupança de clientes em capitais de risco, entre outras coisas. É que isso é que lhe deu fortuna e é precisamente o que ele não nos conta, o egoísta. Assim, juntavam-se as alminhas ali de cima para explicar como se faz a coisa. Atenção que isto é material que se destina a políticos e não a seres humanos como nós, ok? Este é o segmento da indústria porno indicado para eles e que mais lhes dá gosto: fornicar-nos a todos nós.
O Kamasutra Político é muito parecido com o normal, mas aplicado ao bonito mundo da falcatrua e do crime de colarinho branco. Em vez de se ensinar a arte de amar, ensina-se a arte de roubar, de burlar, de ludibriar. Exemplos:
"N. º 1: Este é o primeiro ensinamento do Kamasutra Político e talvez o mais importante: Tenha dupla nacionalidade (e passaporte sempre à mão), de preferência brasileira. Assim, caso tenha problemas com a justiça pode perfeitamente fugir para o Brasil, sem que o/a possam deter e trazer para Portugal. Uma vez no Brasil poderá dar entrevistas a telejornais portugueses clamando a sua inocência, fazendo-se de santo/a e de vitíma. Esta estratégia é ideal para ganhar eleições."
"N. º 38: Como obter lucros de 1000% com a venda de um terreno. A receita é muito simples: compra-se um terreno onde não se possa construir, a um tipo por poucos milhares de euros. Põe-se o terreno em nome de um primo que vive na Suiça (primo fictício). Depois há que arranjar uma licença de construção, mas como se não se pode construir? Vá falar com o presidente da câmara, ah, que coincidência! O presidente da câmara é você! Quando já tiver a licença tratada, apresente na câmara municipal um projecto para construir um imóvel de interesse público que por obra e graça do destino se irá localizar precisamente na zona desse terreno, que por mero acaso é o único que está disponível. O "primo" da Suiça faz-se de difícil e não quer vender o terreno de maneira nenhuma e é aí que você avança com uma proposta de milhões, daquelas irrecusáveis. O "primo" aceita e assim entram uns milhões para a sua conta bancária da Suiça (uma conta offshore, onde ninguém lhe pode tirar o dinheiro). Deixe o dinheiro marinar uns meses para não levantar suspeitas e depois use a gosto e goze-o como bem entender, desde que isso não envolva miúdas de Leste porque, regra geral, andam metidas com tipos da Máfia Russa e esses tipos são capazes de aleijar."
Se é autarca, deputado, político, ministro ou presidente da Junta este livro é para si! Compre já, antes que esgote! Ah, o livro também dá para presidentes de bancos e para administradores de empresas estrangeiras que estejam à beira da falência e que de forma a sacar algum dinheiro ao Estado, ameaçam que vão sair do país e despedir milhares de pessoas a não ser que tenham ajuda financeira do Estado. Nesse caso ficam por cá, até receberem o dinheiro do Estado e só depois é que se põem daqui para fora.
Escrito por: João Cacelas às 18:03
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (4) | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Julho de 2009

Pornografia, take 2 (não recomendável a pessoas sensíveis e/ou pudicas)

Olá coisas fofas, cá estamos nós de volta a essa bela temática que é o mundo da pornografia. Tal como no post anterior, este também será para dar algumas sugestões ao pessoal da Hot TV, para que eles possam ter sucesso com o seu canal. Uma delas passaria por adaptar também alguns grandes clássicos do cinema português ao universo pornográfico e visto que o Hot TV é um canal português, não fica nada mal aos seus responsáveis fazer uma pequena homenagem aos grandes nomes do nosso cinema. Assim, teríamos películas como os "Verdes Ânus", uma adaptação do filme de 1963, "Verdes Anos", realizado por Paulo Rocha. A história seria semelhante à do original: um jovem sai da província para vir viver para Lisboa e aí arranjar um bom emprego e orientar a sua vida, mas, tendo em conta a actual crise financeira e a escassez de empregos disponíveis, o nosso jovem personagem vê-se obrigado a enveredar pelo mundo da prostituição masculina. Mais que um filme porno gay, "Verdes Ânus" aborda temas actuais como a crise financeira, económica e social em que vivemos, ou seja, tem tudo para ter sucesso (olhem que parecendo que não, isto pode sair daqui um argumento do catano, vou escrever isso); Outro grande clássico do nosso cinema que teria grande sucesso no universo pornográfico seria "As Pupilas do Senhor Reitor", sendo que aqui nem é necessário alterar o título visto que este já é bastante sugestivo; Para quem gostar de de pornografia misturada com uma certa "ruralidade" e "rudeza", temos o grande "A Aldeia da Boca Branca", adaptação do clássico "A Aldeia da Roupa Branca", onde tal como no original contará com uma cena muito animada junto ao rio, com e sem roupa; Para os jovens que gostam assim de coisas mais estranhas, para aqueles que são mesmo tarados, há a adaptação do clássico de 1941, " O Pai Tirano": "Ó Pai, Tira-mo", que se trata de uma história de incesto entre um pai e uma filha; E só para terminar com este deboche, visto que o "nível" aqui do Hemiciclo está-se a afundar tão depressa como o Titanic, deixo apenas mais uma sugestão:  "O Crime do Padre Amaro"...ah, não, espera, esse é aquele da Soraia Chaves, esse já é porno, não conta. Caso os senhores da Hot TV me queiram contactar, enviem-me um e-mail porque como estas, tenho mais pelo menos, meia dúzia de propostas.
Outra sugestão (e prometo que é a última) que deixo à Hot TV é que tente apostar num novo tipo de pornografia, além do "convencional" e do "video caseiro". Façam filmes didácticos, onde ensinem os casais a satisfazerem-se como dever ser, uma espécie de "Pornografia/sexo para tótós", façam filmes porno com sexo tântrico (chamem é o Manoel de Oliveira para realizar isso, porque é mesmo ao estilo dele).  E por fim, aquela que eu acho que é uma ideia do catano: façam pornografia intelectual. "Mas que raio é isso, ó João?", perguntam vocês estupefactos com a dimensão da minha estúpidez. Ao que eu respondo, "é isto":
- " Venha cá, sua marota que eu agora vou-lhe dar com a minha tese sobre a globalização e sobre quais os benefícios e consequências desta a curto/médio prazo por todo o Mundo..."
- " Ai que só de falar disso, deixa-me louca, veja lá se isto não é como daquela vez em que estivemos a discutir "A República" de Platão...estive sem poder pensar durante dois dias..."
- " Cale-se e veja só esta tese..."
- " Ai, mas que grande tese que você tem para mostrar..."
E pronto coisos, não vos prendo mais. Adeuzinho , beijinhos, abraços e muitos palhaços.
Nota: Peço desculpa se feri alguma susceptibilidade com alguma coisa que tenha escrito, mas somos todos adultos e todos sabemos como são as coisas, certo?
 
Escrito por: João Cacelas às 14:06
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (16) | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

Pornografia, take 1 (não recomendável a pessoas sensíveis e/ou pudicas)

Nas últimas semanas foi preenchida (e que palavra tão adequada ao tema em questão) uma grande lacuna que se fazia sentir (ou não) em Portugal: finalmente temos um canal porno português, o Hot TV. Mas não me parece que esta coisa do Hot TV vá ter muito sucesso porque vamos lá a ver: os filmes pornográficos de hoje em dia já não têm aquele encanto de outrora, não há um jazz ou uns blues a tocar de forma suave, não há qualquer tipo de história nem sequer envolvência entre os actores, perdeu-se aquela espécie de romantismo badalhoco que era tão característica dos filmes porno dos anos 80 e que ainda dava alguma piada à cena. Eu não sou fã do género pornográfico, mas um bom filme porno dos anos 80 tem maior potencial humorístico do que muito filme de comédia que por aí se faz. Já os filmes porno de hoje em dia não são nada. Há uma tipa com o ar mais bimbo possível, um gajo que parece uma mistura de elemento dos Super Dragões com arrumador de carros e estão ali no fornicanço, como se estivessem a fazer um bolo ou a ler uma revista. Não há uma história nem uma música, a não ser aquela espécie de guinchar que as moças fazem, não há romantismo badalhoco, apenas muita "badalhoquice" pura e dura, suor por todos os lados e meias brancas nos pés dos actores e não me parece que uma pessoa vá pagar para ver um gajo todo nú, com meias brancas a fornicar uma loira oxigenada que está aos guinchos como se o mundo fosse acabar já ali. Pelo menos, eu não. E é por isso mesmo que eu quero fazer uma proposta aos senhores da Hot TV: se realmente querem ter sucesso nesse tipo de filmes façam uma coisa diferente, sem tanta badalhoquice, uma coisa que se pareça com um filme a sério, com drama, paixão, humor, mas onde às duas por três haja fornicanço, afinal é esse o segmento que querem atingir. A primeira sugestão que deixo é adaptar alguns dos clássicos da Disney ao universo pornográfico. Toda a gente veria, nem que fosse por mera curiosidade ou para dar uma risada enquanto o Mickey possui a Minnie à bruta, na parte de trás do seu carro. Assim, deixo aqui algumas sugestões para eventuais filmes. "Pinoca-o":, uma adaptação do clássico "Pinóquio" em que além de Pinóquio e Gepeto temos uma moça chamada Alzira que tem uma tara por meninos feitos de madeira (aqui está mesmo a pedir um trocadilho relativo ao pau, mas fico-me por aqui); "Branca de Neve e os Sete Matulões": nesta adaptação, a Branca de Neve é uma jovem actriz porno em ascensão que faz o melhor oral do Reino. A Bruxa Má, veterana estrela porno ao descobrir (através do Espelho Mágico) que a Branca de Neve faz um oral mais completo que o dela tenta matá-la, oferecendo-lhe um vibrador envenenado. No entanto, Branca de Neve é resgatada por sete matulões senegaleses com quem terá grandes momentos de "porno-badalhoquice"; "Alice no País dos parte bilhas": muito semelhante ao "País das Maravilhas", mas em vez de chá há outro tipo de actividades lúdicas...e como estes, haveria mais para referir como "A Bela e o mastro", "Quem transou com Roger Rabbit", "Robin dos Rabiosques", "Ala, Dino"...mas por ora, fico-me por aqui.

Voltarei em breve com a mesma temática, porque em qualquer filme porno que se preze há sempre uma sequela.

Desculpem lá qualquer coisinha, coisos.

Escrito por: João Cacelas às 13:43
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (21) | favorito
|
Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

O Festival Erótico Medieval de Gaia

Começa já amanhã (quinta-feira) o Festival Erótico Medieval de Gaia. De acordo com a organização deste evento, a ideia é apimentar as relações amorosas dos portugueses, tal como mudar algumas mentalidades, pois afinal todos sabemos que de facto o erotismo medieval em Portugal anda muito mal visto. Basicamente, trata-se de um salão erótico como tantos outros, mas, adaptado à era medieval. Era essa que como todos sabemos foi carregadinha de erotismo, dos pés à cabeça, tivemos a extremamente sexy peste negra, a sensual Guerra dos Cem anos, a não menos sensual fome, que acabaria por levar a inúmeras mortes bem sexy e claro está, a Santa Inquisição que fazia fogueiras humanas carregadinhas de erotismo.

E que tipo de brinquedos sexuais poderemos nós achar no Festival Erótico Medieval de Gaia? Será que em vez do vibrador teremos uma moca de ponta de aço? Em vez do cinto de ligas, teremos o cinto de castidade? Em vez da lingerie sexy teremos uma armadura de um cavaleiro da Ordem dos Templários? Vá ao Festival Erótico Medieval de Gaia e descubra você mesmo!

Só para terminar, é caso para dizer que a expressão "vais levar com uma moca de Rio Maior em cima" adquire agora um novo significado...

Nota: A este festival não posso ir, mas assim que fizerem o Festival Erótico do Paleolítico Superior contem comigo!

Nota 2: Lembram-se daquela montagem que fiz do nosso Sócrates, em versão Messias ao colo da Virgem? Pois é, fui descobrir essa marota no blogue oficial da distrital de Setúbal do PSD. Desde que não a imprimam para fazer um cartaz ainda está tudo bem...

Escrito por: João Cacelas às 18:48
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (10) | favorito
|
Terça-feira, 7 de Julho de 2009

Dá sempre um certo jeito...

Porque é que as mulheres são assim? ( Sim, porque tenho a certeza que não sou a única...)

 

Este até poderia ser o retrato de uma parte do meu dia de hoje...Mas não é. Por variadíssimas razões ( desde a cor do cabelo que é diferente, à cor dos sapatos que não gosto :) ) . Mas principalmente, porque quem mudou o pneu do meu carro, que "estoirou" (não foi furar, foi mesmo rebentar), foram 2 amáveis cavalheiros que nem sequer me deixaram abrir a mala do carro para tirar o pneu suplente. E se por acaso há por aí alguém que pense que eu me tenha importado com o facto de eles me terem achado incapaz de efectuar essa tarefa, está redondamente enganado. E digo mais...esta é a terceira vez na minha vida que me acham incapaz dessa tarefa, sendo também simultaneamente a terceira vez que isto me acontece.

Sinceramente? Parece-me tarefa fácil, mas espero que haja sempre um homem por perto...

 

 

Escrito por: Regina às 22:46
Ligação directa | Comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

André Sardet e uma nova tipologia de músicas de amor e ainda uma ode à língua portuguesa

Olá tsé-tsés, aproveitei que tenho o jantar ao lume para cá vir assassinar saudades e porque tenho umas coisinhas que me andam a fazer uma certa "espécie" no meu cucuruto. 

Uma delas, é a nova(?) música do André Sardet. Não sou fã do moço mas também não posso afirmar que o detesto (enquanto cantor, claro está), sou neutro, como a Suiça. A canção em questão intitula-se "adivinha o quanto gosto de ti" e até tem um começo promissor: o rapaz gosta de uma jovem, fala-se em flores, em bilhetinhos, pernas a tremer, enfim aquelas coisas típicas do amor e das dermatoses nas pernas. Até aqui, tudo parece correr sobre rodas e  André Sardet resolve passar para o "nível seguinte" e pergunta à sua amada se ela consegue adivinhar o quanto ele gosta dela. Querendo demonstrar que o amor que sente pela moça é estratosférico, Sardet dispara um bonito "gosto de ti desde aqui até à Lua; gosto de ti desde a Lua até aqui". É pá, ó André: o Cosmos é tão grande, praticamente infinito e tu dizes à moça que só gostas dela desde aqui até à Lua? Olha que nos tempos que correm isso é muito pouco, é para aí o equivalente a dizeres "gosto de ti desde aqui até à Brandoa", sendo que na Brandoa até há mais charme e beleza que na Lua. O que devias ter dito era: "gosto de ti desde aqui até aos confins da Via Láctea, até onde o Homem nunca chegará, até ao Infinito e ainda depois disso e daí até aqui para aí umas vinte vezes". Assim, estava bem rapaz. Percebia-se mesmo que gostas da moça a sério e que não a queres só para dar umas pinocadas. É que essa da Lua já não pega. Mas, prosseguindo com a cantiga, receoso de ter dado um passo maior que a perna ao afirmar que gosta da jovem desde aqui até à Lua, Sardet canta "gosto de ti, simplesmente porque gosto", assim como quem diz "vê lá ó minha, não penses que eu estou mesmo apanhado por ti, só gosto de ti porque sim, porque não tenho mais nada para fazer de momento e porque até tens uma prateleira muito bem aviada ". Esta simplificação extrema do que é o amor e do que é o acto de amar eleva a canção de amor para um nível completamente diferente. Aqui, não temos a história de amor dramática, o amor impossível, ardente. Temos o amor simplesmente porque sim. O amor porque coiso, desde aqui até à Lua, desde a Lua até aqui mas só porque coiso. No seu lugar (do amor) bem podia estar uma Morçela de Arganil que não se notava grande diferença. Não estamos na presença de um amor louco mas sim de um tipo de amor com muita cautela, à boa maneira portuguesa: "gosto de ti, sim senhor, mas vamos lá com calminha que também gosto muito de bacalhau com natas e não é por isso que vou andar para aí a fazer maluquices para ter o bacalhau com natas." 

Bom, posto isto já estou mesmo a ver qual vai ser o alinhamento do próximo cd do Sardet: "Vou fazer ó-ó simplesmente porque tenho sono"; "Gosto de ti do Dolce Vita Tejo até aqui"; "Falo porque simplesmente abro a boca"; "Gosto muito de ti e de esparguete à bolonhesa também" e ainda o mega hit: "Vivo porque simplesmente respiro". 

Para terminar, queria dar aos parabéns ao pessoal do Sapo por ter destacado esta semana (ou na passada) um blogue em que o malandro do "ch" é completamente exterminado para dar lugar ao "x". Axo muito bem que o Sapo ajude a divulgar a língua portuguesa, pois fax-me comixão ver alguns blogues com textos xeios de erros. Viva o Sapo, que defende o uso do "x", essa tradixão tão noxa, tão portuguexa. Xama-se a isto, manter a xama lusa axesa.

Peço desculpa a quem esperava alguma coisa de jeito. Até daqui a uns dias.

Músicas, cantigas, melodias e seus semelhantes: Escrevo aqui simplesmente porque pressiono as teclas
Escrito por: João Cacelas às 21:05
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (33) | favorito
|
Segunda-feira, 4 de Maio de 2009

Humor (pseudo)intelectual (2)

Os políticos portugueses são como os bonobos*. Passam a vida a f****-se uns aos outros.

 

* Uma vez mais, há que notar que temos que ter o conhecimento de que os bonobos (uma espécie de chimpanzé anão), têm uma vida sexual extremamente activa. O sexo faz parte do seu dia-a-dia, como forma de socialização. Todos os bonobos fazem sexo uns com os outros. Machos com machos, fêmeas com fêmeas, filhos com mães, etc. Não é por serem depravados, é antes a forma que eles têm de socializar. Em vez de dizerem "bom dia", têm relações sexuais. Fantástico não é? Pois não, não é.

Escrito por: João Cacelas às 11:30
Ligação directa | Comentar | Os que já comentaram (4) | favorito
|

.Os oradores:

.Translator (para coisinhos de outros países e planetas)

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.Caso queira pesquisar sobre coisas, assuntos ou temas:

 

.Intervenções mais velhotas, assim a cheirar a mofo:

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Intervenções recentes:

. A Playboy portuga e outra...

. Calças pull-up e etc. e c...

. Élvio Santiago, posso-te ...

. A saga Twilight e os prín...

. Normalizem lá isto, ó UE ...

. Biologia portuga: a Unhac...

. Antropologia Portuga: o d...

. Porquê Maya? Porquê?

. O Kamasutra Político: apr...

. Pornografia, take 2 (não ...

. Pornografia, take 1 (não ...

. O Festival Erótico Mediev...

. Dá sempre um certo jeito....

. André Sardet e uma nova t...

. Humor (pseudo)intelectual...

.tags

. todas as tags

.Cuscas e cuscos (ladies first)

Counters
Counters
Creative Commons License
O Hemiciclo by João Cacelas is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

.O meu e-mail, ou melhor emel. Caso queiram deixar alguma sugestão ou crítica, enviem para aqui:

joao_cacelas@hotmail.com

.subscrever feeds